FORMAÇÃO

Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento realiza Programa de Formação Operacional

O Programa tem a finalidade de capacitar militares em modalidades como: Salto Livre Militar, Mestre de Salto Precursor, Mestre de Salto Livre, Piloto Tandem e Instrutor de Accelereted Free Fall
Publicado: 04/08/2020 16:37
Imprimir
Fonte: Ala 5, por Tenente Barbieri
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Oliveira Lima

O Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (EAS), sediado na Ala 5 - Base Aérea de Campo Grande (MS), realizou, de abril a julho, um Programa de Formação Operacional com o objetivo de capacitar seus militares nas modalidades de Salto Livre Militar, Mestre de Salto Precursor, Mestre de Salto Livre, Piloto Tandem e Instrutor de Accelereted Free Fall.

O Programa conta com fases teórica e prática, em que cada modalidade possui duração diferenciada e especificidades de conhecimento e treino. Segundo o Comandante do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento, Tenente-Coronel de Infantaria Igor Costa Cabral, a finalidade da formação é a capacitação. "O objetivo é capacitar seus operadores nas atividades de interesse para a realização de ações de Resgate e Operações Especiais designadas pela Força Aérea Brasileira”, explica.

Para a realização dessas missões, o Esquadrão conhecido como PARA-SAR conta com o apoio das aeronaves C-105 Amazonas, SC-105 SAR e C-95 Bandeirante, Esquadrões Onça (1°/15° GAV), Pelicano (2°/10° GAV) e Pégaso (5º ETA), respectivamente.

Modalidades do Programa de Formação Operacional

Na modalidade de Salto Livre Militar, em sua fase teórica, o militar recebe instruções de fundamentos de folga, aerodinâmica de paraquedas retangulares, equipamentos de salto, navegação, entre outras. Na prática, são realizados saltos de treinamento, diurno e noturno, com paraquedas operacionais equipados com mochila e armamento. 

Já na de Mestre de Salto Precursor, ocorre a habilitação dos militares a serem instrutores da formação de novos paraquedistas, elementos capazes de realizar o reconhecimento de Zonas de Lançamento (ZL), bem como conduzir o planejamento e a execução de lançamentos de paraquedistas por meio de equipamento semiautomático.

A formação de Piloto Tandem Militar prepara o militar para realizar saltos com passageiro ou com uma carga pesada. Seu emprego é necessário em situações de Busca e Salvamento e Busca e Salvamento em Combate, para a infiltração de uma pessoa em um território, por exemplo.

Por fim, a modalidade de Instrutor Accelerated Free Fall (ou Queda Livre Acelerada) é um método de treinamento de paraquedismo para formar o Instrutor de Salto Livre. Durante o salto o aluno é exposto a diversas anormalidades no momento da queda livre e que são necessárias de serem corrigidas. Requer pouca quantidade de saltos entre 10 mil e 12 mil pés de altura para que o aluno possa se formar.

O Programa foi realizado somente para o público interno, adotando as medidas de prevenção no combate à COVID-19.

Fotos: PARASAR