OPERAçãO PANTANAL

FAB transporta alimentos e animais afetados pelas queimadas

Ação foi realizada com o H60L Black Hawk em apoio ao Conselho Estadual do Meio Ambiente e Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia do Mato Grosso do Sul (CRMV-MS)
Publicado: 21/10/2020 19:00
Imprimir
Fonte: Ala 5, por Sargento Juliana
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Major Monteiro

A Ala 5, em Campo Grande (MS), por meio da tripulação do Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (2°/10° GAV) - Esquadrão Pelicano, atuou durante a terça-feira (20) no transporte de aproximadamente uma tonelada de alimentos diversos para animais afetados com as queimadas, no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de animais. A ação contou com a coordenação do Conselho Regional de Medicina Veterinária e Zootecnia do Mato Grosso do Sul (CRMV-MS).

A distribuição dos alimentos, como milho, carne, frutas, verduras e legumes, ocorreu em cinco diferentes regiões do Parque Estadual das Nascentes do Taquari, localizado em Alcinópolis (MS). Houve, também, distribuição de alimentos na Serra do Amolar, em Corumbá (MS).

Para o piloto da aeronave, Tenente Aviador Luís Fernando Chuaste do Amaral, participar desta missão foi gratificante. "É uma missão que nos engrandece como seres humanos, pois estamos colaborando de alguma maneira para a recuperação da natureza e esta é uma oportunidade única que o fato de pertencer a uma Unidade de Busca e Salvamento nos oferece", disse.

Para o Presidente do CRMV-MS, Rodrigo Bordin Piva, o apoio da Força Aérea Brasileira (FAB) foi essencial. “Tendo em vista que áreas antes inacessíveis foram alcançadas com o apoio aéreo, a missão não poderia ter sido melhor. São áreas consideradas como rotas de fuga de animais, em pelo menos três dessas áreas não é possível o acesso terrestre ou aquaviário. Em outros pontos tal operação poderia demorar até dois meses para conseguir chegar”, declarou.

Além do transporte de alimentos, foi realizado o traslado de uma cutia - animal pantaneiro que sofreu queimaduras nas patas - ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande. 

 

Fotos: Capitão Stolf e Soldado Avalhaes / Ala 5