NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 019/2021 - 19/01/2021

Publicado: 19/01/2021 - 09:21h
TV GLOBO - BOM DIA BRASIL

TV GLOBO - JORNAL HOJE

PORTAL UOL

PORTAL G1

PORTAL R7

AGÊNCIA BRASIL

DEFESA AÉREA & NAVAL

REVISTA AERO MAGAZINE

PORTAL DIÁRIO DO PODER

PORTAL PODER 360 (DF)

CNN BRASIL

PORTAL METROPÓLES (DF)

PORTAL AEROFLAP

PORTAL AEROIN

OUTRAS MÍDIAS

TV GLOBO - BOM DIA BRASIL


Mais de 70 pacientes com Covid-19 já foram levados de Manaus para outros estados

A expectativa é de que ao todo 235 pessoas sejam transferidas. O Amazonas enfrenta um colapso na saúde.

Publicada em 18/01/2021

TV GLOBO - JORNAL HOJE


Seis milhões de doses da CoronaVac estão a caminho de todos os estados do Brasil


Da Redação | Publicada em 18/01/2021

Seis milhões de doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Sinovac, já estão a caminho de todos os estados do país. O transporte está sendo feito em aviões e caminhões refrigerados.

77 pacientes já foram transferidos de Manaus para outros estados e para o DF

Governo do Amazonas pretende mandar 235 pacientes para outros estados.

Publicada em 18/01/2021

PORTAL UOL


Natal recebe 12 pacientes de Manaus; total de transferidos sobe para 77


Da Redação | Publicada em 18/01/2021 12:30

Mais 12 pacientes que estavam internados com covid-19 em quatro unidades hospitalares de Manaus foram transferidos para Natal. A decolagem, em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) foi às 21h16 de ontem, no aeroporto de Ponta Pelada, zona sul de Manaus.

Seriam transferidos 14 pacientes, mas durante a avaliação prévia, dois não puderam embarcar por condições clínicas. Durante a viagem uma equipe médica acompanhou os pacientes até a internação no hospital de destino.

De acordo com o governo do Amazonas, 77 pacientes internados em unidades da rede estadual de Saúde já foram transferidos para tratamento em hospitais de outros estados: nove foram para Teresina, 23 para São Luís, 15 para Brasília, 15 para João Pessoa, 12 para Natal e outros três pacientes que foram para Rio Branco transferidos de Tabatinga.

Pelo Twitter, a Prefeitura de Natal informou que os pacientes desembarcaram na Base Aérea em Parnamirim por volta das 2h50 de hoje.

O Samu deu apoio na remoção dos pacientes do aeroporto ao local de internação, juntamente com dez batedores da STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana). Foram utilizadas três ambulâncias básicas, duas de suporte avançado e duas do transporte sanitário do município.

Dois pacientes foram transferidos para o Hospital Giselda Trigueiro e dez para o HUOL (Hospital Universitário Onofre Lopes).

João Pessoa recebe 15 pacientes

Também na madrugada de hoje desembarcaram em João Pessoa 15 pacientes transferidos de Manaus.

Pelo Twitter, o governador João Azevêdo afirmou que eles foram encaminhados de ambulância para o Hospital Universitário da capital.

Falta de oxigênio

Os pacientes com covid-19 começaram a ser transferidos para outros estados na sexta-feira (15), após colapso no sistema de saúde de Manaus. Hospitais ficaram sem cilindros de oxigênio para manter a respiração de pacientes entubados, e parentes relataram drama no atendimento.

Diante da crise sanitária, estados e municípios ofereceram leitos para pacientes e tratamento da covid-19 na tentativa de aliviar os hospitais amazonenses.

A FAB passou a fazer voos para levar cilindros de oxigênio de outras regiões do país para Manaus. Um carregamento de oxigênio doado pela Venezuela deve chegar a cidade na noite de hoje.

PORTAL G1


Doses da vacina contra Covid-19 serão distribuídas às cidades de SC na terça-feira

São 144 mil doses da CoronaVac recebidas e expectativa é que vacinação inicie ainda nesta segunda. Ao menos 20 policiais e 10 viaturas fizeram escolta entre a Base Aérea de Florianópolis e o centro de armazenamento e distribuição da Secretaria de Estado da Saúde.

G1 Sc E Nsc | Publicada em 18/01/2021 11:38

O avião com as doses da vacina contra a Covid-19 para imunização em Santa Catarina pousou em Florianópolis na manhã desta segunda-feira (18). A aeronave C 105 da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou às 11h35 na Base Aérea.

A distribuição para as cidades catarinenses deve ocorrer na terça-feira (19) por estrada. Já para o Oeste, as doses devem ser levadas de avião ainda na noite desta segunda.e o centro de distribuição do Estado. O comboio saiu pouco antes das 13h da Base Aérea, na capital, e chegou às 13h40 no almoxarifado da Secretaria de Estado da Saúde (SES), em São José, cidade vizinha na Grande Florianópolis.

A distribuição para as cidades catarinenses deve ocorrer na terça-feira (19) por estrada. Já para o Oeste, as doses devem ser levadas de avião ainda na noite desta segunda.

Quando o caminhão chegou com as doses ao centro de distribuição do estado, havia policiais militares aguardando para também garantir a segurança do local. No transporte para as demais regiões, devem estar envolvidos 30 policiais, informou a Secretaria de Segurança do Estado ao G1.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, são 144.040 doses da CoronaVac, em 3.601 caixas, recebidas nesta segunda-feira para vacinar um total de 68.580 pessoas, "considerando que são necessárias duas doses e que haja alguma possível perda técnica".

Com isso, a primeira remessa da vacina CoronaVac vai cobrir 16% do grupo prioritário, já que a população estimada para do primeiro grupo é de 426.678, segundo o plano de vacinação do governo estadual.

São 17.480 doses para a população indígena e 126.560 doses destinadas para as demais pessoas do grupo prioritário.

Com isso, a Secretaria de Saúde espera vacinar 3.460 pessoas com mais de 60 anos que estão em casas geriátricas, 263 pessoas com deficiência que estão em instituições, 8.317 indígenas e 56.540 trabalhadores da saúde.

A primeira pessoa a ser vacina em Florianópolis poderá ser uma enfermeira do bairro Rio Vermelho, no Norte da Ilha, que vai trabalhar na vacinação dos grupos prioritários, segundo o prefeito Gean Loureiro (DEM).

A orientação das autoridades de saúde é que a população continue tomando os cuidados sanitários contra o coronavírus, como uso de máscara e distanciamento social, até que a maior parte da população tenha recebido as duas doses da vacina.

Distribuição das vacinas

Por volta das 12h30, as caixas de isopor com as vacinas estavam sendo colocadas no baú-frigorífico e pouco antes das 13h já tinham saído da Base Aérea. Uma escolta formada por agentes da Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar chegou horas antes na Base Aérea de Florianópolis para aguardar a chegada das doses.

As caixas com mais de três toneladas de materiais para imunização são transportadas em um caminhão refrigerado sob escolta dos veículos das forças de segurança até o centro de distribuição, onde as doses serão fracionadas para as regiões.

A distribuição pelo Estado para as demais cidades deve iniciar ainda nesta segunda. Além da Grande Florianópolis, há mais 16 centros de distribuição no Estado que devem receber as doses: Blumenau, Joinville, Itajaí, Chapecó, Criciúma, Mafra, Tubarão, Rio do Sul, Videira, Lages, Jaraguá do Sul, Araranguá, Joaçaba, São Miguel do Oeste, Xanxerê e Concórdia.

Cerca de 30 policiais irão realizar as escoltas das vacinas do almoxarifado da Secretaria Estadual de Saúde em direção aos municípios. As rotas que serão realizadas são as seguintes:

Sul - via terrestre - Tubarão, Criciúma e Araranguá

Planalto Norte - via terrestre - Lages, Rio do Sul, Jaraguá do Sul e Mafra

Meio Oeste - via terrestre - Joaçaba e Videira

Oeste – aéreo - Chapecó, São Miguel do Oeste, Xanxerê e Concórdia

Alto vale - via terrestre - Blumenau e Itajaí

Norte - via terrestre - Joinville

O governo de Santa Catarina ainda não informou onde serão aplicadas a vacinas e como será a escolha e prioridade na vacinação. Também não há confirmação de quantas doses cada cidade receberá.

São José

Alguns municípios, porém, já sabem quantas doses receberão. São José terá 12 mil vacinas à disposição. A informação foi repassada pela assessoria de imprensa do governo municipal, que disse também que profissionais de saúde e idosos acima de 60 anos institucionalizados receberão a imunização na primeira remessa.

Cerca de 7 mil pessoas, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que trabalham em São José serão vacinados nos próprios locais de trabalho. Nas instituições de longa permanência, os profissionais de saúde irão até o local aplicar as vacinas. Cerca de 1 mil pessoas vivem nesses locais na cidade.

Segundo a Diretora Vigilância Epidemiológica da cidade, a população que está enquadrada no primeiro grupo não precisa ir ao posto de saúde. A carteira de vacinação também não será necessária. "Será uma carteirinha que será dada que é só do Covid-19. Essa carteirinha quem vai disponibilizar são os profissionais de saúde que estarão vacinando", afirmou.

Distribuição das vacinas

A carga partiu do aeroporto de Guarulhos após ato simbólico de entrega das vacinas aos Estados pelo Ministério da Saúde. Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, falou que a vacinação deve começar ainda nesta segunda no estado.

No encontro em São Paulo, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que os estados podem começar a partir das 17h em todo o país. Mais de 4,6 milhões de doses da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, estão sendo distribuídas nesta segunda.

Grupos

Confira abaixo quais grupos fazem parte desta primeira fase da vacinação contra Covid-19:

Primeiro: trabalhadores da saúde, a população idosa a partir dos 75 anos de idade, as pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas) e a população indígena. População estimada deste grupo é de 426.678 pessoas.

Segundo: pessoas de 60 a 74 anos. População estimada deste grupo é de 844.644 pessoas.

Terceiro: pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença. População estimada deste grupo é de 1.365.028 pessoas.

Quarto: professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e funcionários do sistema prisional. População estimada deste grupo é de 166.289 pessoas.

Cerca de 158 mil doses da vacina contra Covid-19 chegam em base aérea de MS

Doses chegaram em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) na Base Aérea da capital sul-mato-grossense por volta das 15h15 desta segunda-feira (18).

João Pedro Godoy E Cláudia Gaigher | Publicada em 18/01/2021 16:25

As primeiras 158 mil doses da vacina contra a Covid-19 chegaram na Base Aérea de Campo Grande (MS) por volta das 15h15 desta segunda-feira (18), em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). O avião decolou de Guarulhos na manhã desta segunda e, antes de chegar a Mato Grosso do Sul, deixou caixas da vacina em Florianópolis (SC).

Ainda na tarde desta segunda, as três primeiras pessoas deverão receber a primeira dose da vacina na capital de Mato Grosso do Sul. Elas serão imunizadas em ato simbólico de início da vacinação, no Hospital Regional Rosa Pedrossian, referência no tratamento a pacientes com a infecção pelo novo coronavírus.

A distribuição para os 79 municípios, que antes estava programada para esta terça-feira (19), deve começar ainda na noite desta segunda, em ação conjunta entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

A previsão é que na quarta-feira (20), comece a aplicação das vacinas. Conforme o Plano Estadual de Vacinação, a primeira fase da imunização vai englobar trabalhadores em saúde; idosos com mais de 75 anos; aqueles com mais de 60 que estejam em asilos; índios aldeiados e pessoas com comorbidades.

Conforme consta no plano de vacinação, na primeira etapa de imunização, a previsão é de que sejam vacinadas 211.633 pessoas em Mato Grosso do Sul. O objetivo, nas quatro fases é alcançar cerca de 890.653 pessoas.

O Secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, explicou a logística da vacinação. "Nosso plano é audacioso. Estamos muito alinhados para iniciar a vacina às 10h na quarta-feira conforme combinado com o Ministério da Saúde. Nós temos um plano de distribuição dessas vacinas em 24 horas ou, no máximo, em 48 horas. Certamente vai ser destinado a todos os municípios do Estado", afirma Resende.

Vacina contra Covid-19: doses da CoronaVac chegam a Brasília e são armazenadas no SIA

Aeronave com material aterrissou na capital pouco antes das 15h. Sob escolta da PF e da PRF, carregamento foi enviado à central da rede de frios da Secretaria de Saúde; vacinação começa na terça.

Mara Puljiz E Brenda Ortiz | Publicada em 18/01/2021 15:10

O primeiro lote de doses da vacina CoronaVac contra a Covid-19 chegou ao Distrito Federal nesta segunda-feira (18). O material foi armazenado na central da rede de frio da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF), no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), e será utilizado nas primeiras fases da campanha de imunização na capital, que começa na terça-feira (19), às 10h.

As 105.960 doses vieram do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, a bordo de uma aeronave C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave pousou no Aeroporto de Brasília pouco antes das 15h. A chegada do avião estava prevista para às 10h30, mas o voo atrasou, decolando de de São Paulo apenas às 12h55.

Em seguida, o carregamento foi levado em um caminhão à central da rede de frio. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Federal (PF) fizeram a escolta do material.

A partir de agora, a segurança até a distribuição nos postos de saúde do Distrito Federal será feita pela Polícia Militar. O secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, acompanhou a chegada do material.

"Nossa ideia junto com a Secretaria de Saúde é vacinar com brevidade. É um momento de muita esperança pro DF e pro Brasil como um todo", disse o secretário.

Armazenamento

A central da rede de frio é responsável pela logística de armazenamento, manuseio e distribuição das doses para unidades de saúde em todas as regiões do DF.

A Secretaria de Saúde também conta com mais sete redes de frio, que estão instaladas em hospitais regionais e na Unidade Básica de Saúde do Núcleo Bandeirante. Juntas, essas redes têm 40 câmaras frias, que também servirão de apoio para os próximos lotes da vacina que chegarem à capital.

A CoronaVac precisa ficar armazenada em temperaturas entre 2°C a 8°C, em refrigeração constante. As câmaras frias são fundamentais para manter a qualidade e assegurar a eficácia da vacina, que não pode passar por variação de temperatura, manuseio incorreto, ou problemas como queda de energia, por exemplo.

Plano de vacinação do DF

De acordo com o plano de vacinação do GDF, serão utilizadas 7,8 milhões seringas e agulhas. Ao todo, 1,5 profissionais disponíveis devem atuar nas salas de vacinação.

Segundo a pasta, o primeiro grupo a receber a vacina na capital será o dos profissionais da área de saúde, que trabalham na linha de frente contra o novo coronavírus. A pasta informou que vai convocar os funcionários para receberem as doses.

O secretário Osnei Okumoto garantiu que o DF tem tem estrutura suficiente para ativar 90 salas para a primeira etapa da vacinação. Ao todo, a Secretaria de Saúde estima imunizar 604,8 mil pessoas nas primeiras fases da imunização no DF.

Os grupos prioritários serão vacinados na seguinte ordem:

1ª etapa (189.514 pessoas)

Trabalhadores da saúde;

População idosa a partir dos 75 anos de idade;

Pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência (como asilos e instituições psiquiátricas.

2ª etapa (265.271 pessoas)

Pessoas de 60 a 74 anos.

3ª etapa (150.190 pessoas)

Pessoas com comorbidades.

4ª etapa

Agentes de segurança e professores.

Secretaria de Saúde ainda não divulgou o número de pessoas que devem receber o medicamento.

Avião da Força Aérea Brasileira com doses de vacina contra a Covid-19 chega em SC

Avião da Força Aérea Brasileira com doses de vacina contra a Covid-19 chega em SC

Publicada em 18/01/2021

Primeiras doses de vacina contra Covid-19 chegam ao Amazonas

Vacinação no estado deve começar nesta terça-feira (19).

G1 Am | Publicada em 18/01/2021 19:45

As primeiras doses da vacina contra a Covid-19 chegaram ao Amazonas por volta de 18h45 desta segunda-feira (18). Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) transportou os imunizantes de São Paulo, e pousou na Base Aérea de Manaus, na Zona Sul.

A aplicação das vacinas deve começar nesta terça-feira (19), informou o governo. O Governo do Amazonas informou que repassará mais detalhes sobre o plano de vacinação às 20h desta segunda.

Ao total, o Amazonas recebeu 256 mil vacinas do Ministério da Saúde e outras 50 mil doses doadas pelo Governo de São Paulo. O número é diferente do divulgado pelo Ministério da Saúde, que informa 282.320 doses no total.

Até este domingo (17), em todo o Amazonas, mais de 230 mil pessoas foram infectadas pela Covid, e mais de 6 mil morreram com a doença. A capital enfrenta um colapso no sistema de saúde por conta de falta de oxigênio nos hospitais, lotados com novos casos de Covid.

Plano oficial será divulgado às 20h

O governo informou que irá apresentar oficialmente o Plano Estadual de Imunização Covid-19 às 20h desta segunda-feira. As informações devem ser repassadas em coletiva de imprensa no Centro de Convenções Vasco Vasques.

Na semana passada, o governo já havia adiantado que durante a primeira etapa da campanha, um total de 1.154.504 pessoas de grupos prioritários devem ser vacinadas contra a Covid-19.

O Ministério da Saúde definiu que, nesse primeiro momento, serão vacinados profissionais de saúde, idosos que residem em instituições de longa duração, indígenas aldeados e pessoas com deficiência. A vacinação está prevista para ocorrer em quatro fases.

Após a chegada das vacinas no Amazonas, a programação é que em três dias alcance todos os municípios com deslocamento aéreo e terrestre, e em cinco dias aos locais com deslocamento apenas fluvial - neste caso, menos de 5% do total das localidades, conforme o governo.

Nos 62 municípios amazonenses, serão 794 salas de vacinação, das quais 495 já estão ativas na rotina de serviços de saúde.

A Polícia Federal fará a escolta da vacina entre até o local onde será distribuída para todos os municípios. As Polícias Civil e Militar farão a segurança do imunizante, bem como dos locais de vacinação.

Pacientes com Covid-19 partem de Manaus para Goiânia em avião da FAB

Governo do Amazonas espera transferir total de 235 pessoas nos próximos dias.

Por G1 Am | Publicada em 18/01/2021 15:45

Mais 15 pacientes com Covid-19 foram transferidos de Manaus para Goiânia, na tarde desta segunda-feira (18). O grupo decolou do aeroporto Ponta Pelada, em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB),

Além das transferências, a FAB informou que na manhã de segunda uma aeronave já trouxe 10 tanques de oxigênio comprimido e 1 usina de oxigênio para ajudar no abastecimento em Manaus.

Com o embarque, o número total de pacientes transferidos para outros estados chega a 94. A expectativa do governo é levar 235 pacientes para receber atendimento fora do Amazonas, mas não informa os prazos para essa transferência.

O embarque de passageiros para outros estados teve início na semana passada. Além da transferência para Goiás, 9 foram para Teresina (PI), 23 para São Luis (MA), 15 para Brasília (DF), 15 para João Pessoa (PB) 12 para Natal (RN). Outros três pacientes foram para Rio Branco (AC) transferidos de Tabatinga, e dois foram de Parintins para Belém (PA).

O estado enfrenta colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio em hospitais de Manaus, que estão lotados por conta do aumento recorde de internações por Covid. Com o caos na Saúde, pacientes começaram a ser levados a outros estados.

Caos na saúde

Com mais de 230 mil casos e 6 mil mortes, o Amazonas vive um caos no sistema de saúde com hospitais lotados. As unidades de saúde não têm oxigênio suficiente para todos os pacientes, o que fez o governo adotar medidas emergenciais para receber o insumo. O governo da Venezuela é um dos que enviou ajuda ao Amazonas.

A situação é tão dramática que, desde a semana passada, o estado está enviando pacientes para receber atendimento em outros estados. O transporte dos passageiros é feito em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), que foram adaptadas para essa finalidade.

Um decreto suspende as atividades econômicas não-essenciais até o dia 31 de janeiro. A circulação de pessoas em todos os municípios do Amazonas está restrita entre 19h e 6h.

PORTAL R7


Avião da FAB pousa em Natal com mais 12 pacientes de Manaus

Até agora, mais de 70 doentes já foram transferidas da capital amazonense, que vive colapso na saúde, para outras cidades

Da Redação | Publicada em 18/01/2021 09:10

Uma aeronave C-99 da FAB (Força Aérea Brasileira) transportando 12 pacientes graves por covid-19, acompanhados de profissionais de saúde, pousou em Natal (RN) às 2h50 (horário de Brasília) desta segunda-feira (18). O avião havia decolado de de Manaus (AM) às 21h17 (horário local) deste domingo.

Na última semana, a FAB intensificou sua atuação com o objetivo de minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense. Desde a sexta-feira (15), a Força Aérea Brasileira já transportou mais de 70 pacientes para outras localidades do País.

Na sexta, uma aeronave C-99 decolou transportou para Teresina nove doentes e seis profissionais de saúde. No mesmo dia, outra aeronave decolou parra São Luís (MA), com mais 12 pacientes.

Já no sábado (16) mais uma aeronave C-99 decolou de Manaus para São Luís (MA) com 11 pacientes, acompanhados de seis profissionais de saúde. Também neste dia, outros 15 pacientes foram transferidos do Amazonas para Brasília (DF).

A FAB atua também no transporte de oxigênio e de toneladas de insumos em meio ao colapso provocado pelo aumento de internações por covid-19 em Manaus.

Aeronaves C-130 Hércules pousaram na base aérea da capital do Amazonas, no sábado, transportando tanques de oxigênio líquido na ponte aérea estabelecida a partir de São Paulo.

Também foram transportadas duas usinas geradoras de oxigênio, equipamentos movidos a energia elétrica que processam o ar atmosférico e liberam oxigênio para uso medicinal.

Aviões da FAB levam vacina contra covid-19 para 11 capitais

Aeronaves como KC-390 Millennium transportam vacinas a capitais do Norte e Nordeste, entre outras. Aéreas atendem outros estados

Da Redação | Publicada em 18/01/2021 13:11

A FAB (Força Aérea Brasileira) começou a distribuir nesta segunda-feira (18) as doses da Coronavac para 11 capitais do país, como as de diversos estados da região Norte. A ação complementa o trabalho feito por companhias aéreas que estão transportando a vacina contra a covid-19 a outras regiões do país.

A expectativa é que os aviões das Forças Armadas transportem nesta segunda 22 toneladas de carga da Coronavac. Isso representa 1/3 de todo esforço logístico previsto para o abastecimento dos estados com a vacina contra o Coronavírus, segundo o Ministério da Defesa. A vacinação está marcada para começar em todo o país às 17h.

As principais aeronaves empregadas são o KC-390 Millennium, o C-130 (Hércules), o C-97 (Brasília) e o C-105 (Amazonas), a fim de fazer a vacina chegar ao seguintes estados: Acre, Rondônia, Amazonas, Roraima, Amapá, Piauí, Ceará, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Goiás, além do Distrito Federal.

Os aviões da FAB seguirão as seguintes rotas nesta segunda-feira. O C-130 (Hércules) irá para Guarulhos (SP), Brasília (DF), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC). Duas aeronaves C-97 (Brasília) decolarão de Manaus, respectivamente, para Macapá (AP) e para Tabatinga (AM).

Já o KC-390 Millennium seguirá de Guarulhos para Goiânia (GO), Teresina (PI) e Fortaleza (CE). Enquanto o C-105 (Amazonas) passará por Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS), saindo de Guarulhos.

AGÊNCIA BRASIL


Aviões da FAB iniciam distribuição de vacinas aos estados

Serão distribuídos 6 milhões de doses da CoronaVac

Luciano Nascimento | Publicada em 18/01/2021 12:55

As secretarias de Saúde dos estados e do Distrito Federal se preparam para iniciar, ainda hoje (18), a vacinação contra o novo coronavírus (covid-19) com o uso da vacina CoronaVac. A previsão é que a vacinação comece por volta das 17h.

Ontem (17), os cinco diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovaram o uso emergencial da CoronaVac e da vacina da Oxford no país.

De acordo com o Ministério da Saúde, serão distribuídos aos estados 6 milhões de doses da vacina CoronaVac. Durante a manhã, aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) partiram de Guarulhos (SP) em direção a algumas capitais para entregar a vacina.

Aviões comerciais também estão sendo utilizados na entrega da vacina. Também há previsão de distribuição de vacinas por via terrestre.

De acordo com o Ministério da Saúde, o número de vacinas e a expectativa de vacinação por região estão assim divididos: 

Número de pessoas a serem vacinadas em cada região:
Norte: 337.332
Nordeste: 683.924
Sudeste: 1.202.090
Sul: 357.821
Centro-Oeste: 273.393

Quantidade de doses enviadas por região:
Norte: 708.440
Nordeste: 1.436.160
Sudeste: 2.524.360
Sul: 751.440
Centro-Oeste: 574.160

Transporte aéreo

O Ministério da Defesa informou que estão sendo transportados pelos aviões da FAB cerca de 22 toneladas de carga, o que representa um terço de todo esforço logístico previsto para o abastecimento dos estados com a vacina contra o coronavírus.

A pasta disse ainda que a previsão de chegada das aeronaves da FAB será divulgada à medida que decolarem no decorrer desta segunda-feira.

Participam da operação aviões KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-105 Amazonas. Uma aeronave C-97 Brasília também será utilizada a partir da cidade de Manaus para Tabatinga.

Inicialmente, as aeronaves partiram para o Distrito Federal e para as capitais de 10 estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

Os aviões da Força Aérea Brasileira seguirão as seguintes rotas nesta segunda-feira: o C-130 Hércules irá para Guarulhos, Brasília, Manaus, Boa Vista, Porto Velho e Rio Branco. Duas aeronaves C-97 Brasília decolarão de Manaus, para Macapá e para Tabatinga. O KC-390 Millennium seguirá de Guarulhos para Goiânia, Teresina e Fortaleza. O C-105 Amazonas passará por Florianópolis e Campo Grande, também saindo de Guarulhos.

Transporte terrestre

Para o transporte terrestre da vacina estão sendo utilizados 100 caminhões com sistema de rastreamento e bloqueio via satélite. Até o final de janeiro, mais 50 caminhões serão incorporados à frota.

Para garantir a segurança no transporte, os caminhões também serão acompanhados pelas polícias Federal e Rodoviária Federal.

“A Polícia Federal atuará na escolta das vacinas, utilizando os seus grupos táticos e sendo a responsável pela segurança dos espaços federais de armazenamento”, informou a assessoria.

Além das polícias, o planejamento da operação de segurança da logística de distribuição da vacina está sendo feito em conjunto com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, secretarias de Segurança Pública dos estados e do Distrito Federal e o Ministério da Saúde.

Assim que as vacinas chegarem às capitais, o acompanhamento e segurança serão entregues às polícias locais, que ficarão responsáveis pela segurança na distribuição.

Caberá às secretarias de Saúde de cada estado coordenar o processo de distribuição aos municípios que, por sua vez, executam a vacinação da população.

Neste primeiro momento, serão vacinados profissionais de saúde, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência, como asilos e instituições psiquiátricas, e a população indígena vivendo em terras indígenas.

DEFESA AÉREA & NAVAL


Forças Armadas transportam 168 toneladas de carga e realizam 314 horas de voo em 10 dias de missão em Manaus


Luiz Padilha | Publicada em 18/01/2021 10:17

As Forças Armadas não têm medido esforços para minimizar os efeitos da pandemia de Covid-19 no estado do Amazonas e, em especial, na capital Manaus. Passados dez dias que o Governador Wilson Miranda Lima solicitou apoio ao Ministério da Defesa (MD), os números são impressionantes.

Do dia 8 de janeiro para cá, foram transportadas 168 toneladas de carga para Manaus; realizadas 314 horas de voo; entregues 36 tanques de oxigênio líquido, 1.510 cilindros de oxigênio gasoso, 40 respiradores e 12 usinas de oxigênio.

Neste fim de semana, por exemplo, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica trabalharam incessantemente para executar, principalmente, as seguintes ações: transporte de pacientes e de oxigênio, montagem de Hospital de Campanha e entrega de respiradores.

Transporte de pacientes

No domingo à noite (17), 15 pessoas foram transferidas para João Pessoa-PB e 12 para Natal-RN. Na madrugada de sábado para domingo, 15 pacientes desembarcarem em Brasília-DF. No sábado à noite, 11 pacientes chegaram a São Luís-MA. Os transportes foram realizados por aviões C-99 da Força Aérea Brasileira (FAB).

Oxigênio

Ainda no domingo à noite, uma aeronave C-130 (Hércules) transportou 10 tanques de oxigênio líquido e um gerador de oxigênio gasoso, de Brasília para a capital amazonense. O total da carga é de 13,5 toneladas.

Centro de Comunicação Social da Defesa (CCOMSOD)
Ministério da Defesa

REVISTA AERO MAGAZINE


Exclusivo - O Gripen visto por um piloto da Força Aérea Brasileira

Major-aviador detalha os recursos do novo caça multimissão da Saab

Da Redação | Publicada em 18/01/2021 15:00

Estou na Suécia. Atualmente, desempenho a função de chefe da Seção Operacional do Grupo de Acompanhamento e Controle (GAC-Saab), organização do Comando da Aeronáutica (Comaer) responsável por acompanhar o andamento do contrato de desenvolvimento e produção dos novos caças F-39 Gripen da Força Aérea Brasileira. Tudo verificado in loco, na sede da Saab, fabricante do Gripen.

Após cinco anos voando os A-29 Super Tucano, fui transferido para o Rio de Janeiro, onde permaneci por seis anos voando os caças F-5M do Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA) - Esquadrão Senta a Púa. Durante esse período, fui selecionado para realizar o curso no Gripen C/D, na Suécia, onde permaneci por aproximadamente seis meses.

Ao regressar ao Brasil, fui designado para Anápolis, em Goiás, onde trabalhei na implantação dos F-5M no Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1°GDA), esquadrão que será responsável por receber aos primeiros Gripen da FAB. Em 2017, com a ativação do Grupo-FOX (nome da equipe de seis pilotos de caça dedicada à gerência operacional do projeto de implantação do novo avião), fui movimentado para Brasília, atuando por dois anos nesse grupo de trabalho como responsável pela implantação operacional do Sistema Gripen no Comando da Aeronáutica. Após dois anos no Grupo-FOX, fui designado para vir trabalhar aqui na cidade de Linköping, na Suécia, no GAC-Saab.

O meu trabalho tem sido muito interessante, uma vez que atuo diretamente com a equipe que desenvolve toda a interface homem-máquina do avião. Ter a oportunidade de influenciar no design de um caça desta magnitude é uma experiência ímpar e uma grande responsabilidade. A equipe aqui é multidisciplinar e bastante heterogênea, temos engenheiros de softwares, psicólogos, pilotos operacionais, pilotos de prova brasileiros e suecos, ou seja, um time bem completo que está se empenhando ao máximo para desenvolver o melhor produto para que o cliente seja atendido em todas as suas demandas.

O Gripen E/F

O meu primeiro contato com o Sistema Gripen ocorreu antes mesmo de o Brasil ter assinado efetivamente o contrato de compra dos caças suecos. Foi no ano de 2008, em Santiago, no Chile, durante a Feira Internacional do Ar e Espaço, a Fidae, quando estava representando o Comaer no evento com os A-29 Super Tucano.

Na ocasião, tive a oportunidade de utilizar o simulador do Gripen C/D. Ainda não tinha voado o nosso Gripen NG, ou o F-39 (denominação que terá o novo avião na FAB), mas a primeira impressão que tive do sistema Gripen foi de uma aeronave realmente inteligente, como a própria Saab o designa: “The smart fighter”. O principal motivo que me fez ter essa percepção foi a interface homem-máquina, também conhecida como HMI (human machine interface). A maneira com que o piloto interage com o avião e a forma como a máquina apresenta os dados para o piloto são extremamente eficientes, facilitando a tomada de decisão mesmo voando nos complexos cenários de combate atuais.

O meu primeiro voo efetivamente em um Gripen ocorreu em 2014, quando cheguei à Suécia para aprender a pilotar os Gripen C/D, versões monoposto e biposto da versão anterior dos caças suecos, que antecedem os modelos E/F que virão para o Brasil. O futuro caça brasileiro possui inúmeras particularidades que a tornam especial, mas eu elencaria cinco aspectos mais relevantes.

Cinco pontos fundamentais

Começaria comentando uma característica já citada anteriormente, a interface homem-máquina. Tudo no Gripen foi pensado e desenvolvido para auxiliar o piloto.

Segundo ponto, o Gripen foi concebido e desenvolvido para receber atualizações periódicas. Isso significa que, diferentemente de muitos caças, ele não precisa de uma modernização generalizada após alguns anos de operação – o upgrade conhecido como middle life update. Da mesma maneira que sistemas e aplicativos de computadores e celulares, o Gripen pode receber atualizações em suas versões de software sem a necessidade de se modernizar ou modificar estruturalmente a célula em si.

Terceiro aspecto, o custo. O sistema Gripen foi concebido para se ter um custo relativamente baixo quando comparado com os demais caças disponíveis no mercado. O motivo desse custo baixo é a solução de manutenção integrada baseada em performance. Os diversos sistemas do Gripen são simples e eficientes com um elevado grau tanto de confiabilidade como de disponibilidade. Além disso, a aeronave exige poucos profissionais de manutenção para as atividades de rotina e isso tudo minimiza os custos de operação quando se imagina o sistema como um todo.

O quarto ponto eu associo aos seus sistemas de guerra eletrônica. O jato possui equipamentos no estado da arte quando nos referimos aos seus diversos sensores. Isso vale para radar, sistemas de alarmes, data-link, pod’s de interferência, interferidores, entre outros.

Por último e não menos importante, eu coloco o programa de offset, uma vez que empresas brasileiras estão participando, efetivamente, do programa de transferência de tecnologia do projeto Gripen em diversas áreas do conhecimento. Tecnologia essa que será importante para a capacitação do nosso pessoal no Brasil, além do desenvolvimento da indústria aeroespacial brasileira.

O modelo F, biposto, tem uma importância bastante singular, uma vez que está diretamente ligado à questão da transferência de tecnologia. A versão biplace será desenvolvida para a Força Aérea Brasileira e, desta forma, a quantidade de profissionais brasileiros que estão trabalhando no desenvolvimento desta aeronave é substancialmente maior do que os que trabalham no modelo E, monoplace. Além disso, existe ainda a questão das novas possibilidades operacionais advindas da presença de um tripulante adicional na nacele traseira.

Guerra eletrônica

A guerra centrada em rede nada mais é do que a internet aplicada à aviação de caça. Significa dizer que, com o Gripen, o que uma aeronave visualizar, todas as demais também estarão enxergando. Isso aumenta consideravelmente o que chamamos de SA (situational awarness), ou consciência situacional. A manutenção de uma SA elevada é fator fundamental e crítico dentro dos complexos cenários de combate modernos. Consciência situacional alta significa poder de letalidade e, ao mesmo tempo, garantia de sobrevivência.

Sem dúvida, a questão dos armamentos é outro fator bastante distinto das nossos Gripen. O avião tem uma capacidade de carga (payload) bastante significativa. Além da quantidade de armamentos que a aeronave tem capacidade de carregar, as combinações destes armamentos fazem do Gripen um caça multimissão. Significa dizer que o Gripen pode realizar missões de combate ar-ar dentro ou fora do campo de visão do piloto (within visual range e beyond vision range), emprego de armamentos ar-solo e reconhecimento, tudo isso em uma mesma missão, ou seja, com apenas uma decolagem. Tantas possibilidades operacionais fazem do Gripen um caça versátil, dando oportunidades diferenciadas de emprego e, ao mesmo tempo, dificultando o trabalho do oponente em se contrapor a uma ameaça tão multifuncional.

Quando mencionei anteriormente que o avião possui sistemas de guerra eletrônica no estado da arte, eu estava levando em consideração justamente estes dois equipamentos: radar AESA o IRST. O novo radar de busca AESA (Active Electronically Scanned Array, ou radar de varredura eletrônica ativa) possui capacidades adicionais quando comparamos com a maioria dos radares de busca convencionais. Em virtude da capacidade de varredura eletrônica, ou seja, uma busca controlada por computadores, a quantidade de alvos trackeados pelo radar AESA é bastante superior. Além disso, em virtude do número superior de antenas, torna esse radar menos suscetível à interferência por parte do inimigo. Já o IRST possibilitará o monitoramento de ameaças de maneira passiva, ou seja, sem que o inimigo perceba a presença do Gripen. Esse sensor se baseia na emissão de calor das ameaças e possui um grau de confiabilidade de azimute (direção) muito elevado.

Por fim, existe a capacidade supercruzeiro (supercruise). Ou seja, o Gripen pode manter o voo nivelado em velocidades supersônicas sem o uso da pós-combustão no motor (after burner) – o que é, sem dúvida, outro ponto bastante distinto do avião. Essa característica propicia, além de economia de combustível, maior alcance ao realizar traslados, maiores distâncias de lançamentos dos armamentos ar-ar. Consequentemente, torna o caça mais eficiente.

Operação no Brasil

As expectativas são as melhores possíveis e não apenas por parte dos pilotos do 1º GDA, que estão diretamente envolvidos no projeto, mas de todos os integrantes da Força Aérea Brasileira. Nós reconhecemos e valorizamos o papel desempenhado pelos caças que hoje voam e defendem o espaço aéreo brasileiro, entretanto, enxergamos e reconhecemos a necessidade de atualizarmos nossa doutrina, as nossas técnicas com um novo sistema que esteja à altura da importância do nosso país no cenário mundial. Sem dúvidas, esse caça atenderá a todas as nossas demandas.

Em longo termo, a chegada do Gripen representará um novo capítulo na história da aviação de caça brasileira, aviação esta que já passou por diversos processos de transformação, adaptação e mudanças. A aeronave será utilizada em toda gama de missões hoje desempenhadas pela FAB. Assim como ocorreu com os demais vetores quando chagaram ao país como os P-47, F-8, F-80, T-37, AT-26, Mirage III e Mirage 2000, não tenho dúvidas de que este novo capítulo também será vitorioso.

* Versão adaptada do conteúdo publicado originalmente na edição 319 da AERO Magazine

PORTAL DIÁRIO DO PODER


Setenta e sete pacientes com covid-19 foram transferidos do Amazonas

A Força Aérea transportou 74 pacientes e 3 voaram de UTI aérea

Redação | Publicada em 18/01/2021 17:37

A lotação de hospitais públicos do Amazonas devido ao aumento do número de internações de pessoas infectadas pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) já motivou a transferência de 77 pacientes para outras unidades da federação.

Segundo o Ministério da Saúde, a Força Aérea Brasileira (FAB) transportou a 74 pacientes com covid-19 entre sexta-feira (15) e a manhã de hoje (18). Deste total, 23 foram levados para São Luís (MA); 15 para Brasília (DF); 15 para João Pessoa (PB); 12 para Natal (RN) e 9 para Teresina (PI).

A Secretaria de Saúde do Amazonas remanejou outros três pacientes na última sexta-feira (15). De acordo com a pasta, os pacientes foram levados a Rio Branco a bordo de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea da própria secretaria.

De acordo com o Ministério da Saúde, as transferências fazem parte de um plano de cooperação interestadual, executado pelo governo federal, em parceria com o governo do Amazonas, para “aliviar a demanda do sistema de saúde de Manaus diante do recrudescimento da pandemia no Amazonas”.

A seleção dos pacientes a serem transferidos leva em conta o chamado Protocolo de Classificação de Risco Manchester, observando os sinais e sintomas que a pessoa apresenta e com base nos quais é estabelecida a prioridade de atendimento conforme a gravidade de cada caso. Para ser transferido, o paciente deve apresentar sinais vitais (frequência cardíaca, respiratória e pressão arterial) estáveis, além de assinar um termo de consentimento para a transferência.

Durante o trajeto, o paciente é acompanhado por sete profissionais de saúde. Além disso, as aeronaves usadas devem contar com equipamentos e insumos hospitalares.

Até ontem (17) a noite, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas contabilizava 230.644 casos confirmados da doença. Desde que a presença do novo coronavírus no país foi confirmada, no fim de fevereiro de 2020, 6.191 pessoas perderam a vida em todo o estado em consequência da covid-19. Entre os casos confirmados, 1.702 pacientes continuavam internados, em observação, até ontem. Destes, 1.123 ocupam leitos clínicos (486 na rede privada e 637 na rede pública), 561 vagas de UTI (255 na rede privada e 306 na rede pública) e 18 estão nas chamadas salas vermelhas (estruturas destinadas à assistência temporária a pacientes críticos ou graves que, uma vez estabilizados, são encaminhados a outros pontos da rede de atenção à saúde).

PORTAL PODER 360 (DF)


Doses da CoronaVac desembarcam em Brasília

Início da distribuição de vacinas. Vacina importada pelo Butantan.

Sérgio Lima | Publicada em 18/01/2021 17:57

Um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) aterrissou em Brasília nesta 2ª feira (18.jan.2021) com doses da CoronaVac. A operação é parte da estratégia de distribuição das vacinas no país.

As doses disponíveis foram importadas pelo Instituto Butantan, que deverá começar a produzir a vacina no Brasil nos próximos meses.

A FAB é responsável por cerca de 1/3 da distribuição das 6 milhões de doses da CoronaVac (aproximadamende 22 toneladas). Distribuirá doses para 11 capitais: Rio Branco, Porto Velho, Manaus, Boa Vista, Macapá, Teresina, Fortaleza, Florianópolis, Campo Grande, Goiânia e Brasília.

O Ministério da Saúde pretende vacinar 2,8 milhões de brasileiros na 1ª etapa de vacinação, marcada para começar a nível nacional na 4ª feira (20.jan).

CNN BRASIL


Embarque e distribuição das vacinas: luta contra relógio em `operação de guerra`


Renan Fiuza E Lorena Lara | Publicada em 18/01/2021 14:13

A distribuição das doses da Coronavac aos estados e municípios brasileiros que começou nesta segunda-feira (18) é uma corrida contra o tempo: não só para a contenção da pandemia da Covid-19, que já matou 209 mil brasileiros, mas também para não perder as doses do imunizante, que devem ser transportada em até 72 horas

A Força Aérea Brasileira (FAB), que está realizando o transporte das doses de São Paulo até os estados, montou uma operação de guerra para cumprir a logística do Plano de Operacionalização da Vacinação Contra a Covid-19.

As vacinas saem do Departamento de Logística em Saúde (DLOG), em Guarulhos,  e são levadas em caminhões refrigerados até a base aérea, em um trajeto que dura cerca de 15 minutos. Todas as doses são mantidas em caixas com gelo sintético. A corrida é para que as doses cheguem aos destinos enquanto esse gelo é eficaz para mantê-las refrigeradas entre 2° C e 8° C.

As caixas são colocadas nas aeronaves da FAB, que têm como destino final pontos focais em todos os estados e no Distrito Federal. Assim que chegam ao local de destino, as doses são novamente colocadas em geladeiras, onde devem ser mantidas até a aplicação.

Toda a operação de distribuição da Coronavac começou nesta segunda-feira (18), às 7h. Além disso, a FAB também realiza uma operação para levar cilindros de oxigênio a Manaus. Por volta das 17h, as aeronaves voltam a São Paulo, onde passam a noite e as equipes são orientadas para o dia seguinte, quando mais doses serão distribuídas.

PORTAL METROPÓLES (DF)


Voo com as primeiras 105.960 doses de Coronavac pousa no aeroporto do DF

Carregada de vacinas contra a Covid-19, a aeronave C-130 (Hércules) saiu do aeroporto de Guarulhos

Luísa Guimarães | Publicada em 18/01/2021 15:59

A aeronave que transporta 105.960 doses da vacina contra a Covid-19 pousou no Aeroporto Internacional de Brasília 14h50 desta segunda-feira (18/12). A carga foi trazida por um avião Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira e aterrissou na Base Aérea. Depois, seguirá do DF para Rio Branco, Manaus e Porto Velho.

O avião havia decolado às 12h55 da Base Aérea de São Paulo. A chegada na capital federal teve apoio da Subsecretaria de Integração e Operações de Segurança Pública (SIOSP), da PF e da PRF.

Em coletiva de imprensa marcada para às 15h desta tarde, no Palácio do Buriti, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, irá detalhar o início da vacinação contra a Covid-19 no DF. A pasta ainda não confirmou se a imunização começa às 17h desta segunda.

Após a chegada na capital, as doses serão transportadas para a central da Rede de Frio, da Secretaria de Saúde, localizada no SIA. O local será responsável por operacionalizar toda a logística de distribuição para as regiões e respectivas unidades de saúde.

Segundo a pasta, a central possui 95 m³ de capacidade de armazenamento – deles, 14m³ serão exclusivos para condicionar e aclimatar as vacinas contra a Covid-19.

Escolta

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal fazem, em comboio, a escolta do imunizante até o SIA, onde está localizada a central de frios da Secretaria de Saúde. A Polícia Militar, então, fará a escolta até os postos de vacinação.

Nesta manhã, a Polícia Militar do DF (PMDF) desencadeou a Operação Imunização. O objetivo geral da ação é manter a segurança no recebimento, na distribuição e na aplicação de vacinas durante a campanha contra a Covid-19 na capital.

Para isso, serão feitas escoltas das equipes de distribuição de vacinas da Secretaria de Saúde, além de apoio à segurança da central da Rede de Frio e dos oito centros regionais de armazenamento. Os postos de imunização também contarão com viaturas para policiamento diário.

O DF tem cinco centros de referência de imunológicos especiais e 169 salas de vacinação, no total.

Início da vacinação nesta segunda

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que vai antecipar o início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus para esta segunda-feira, às 17h. O cronograma, a princípio, previa a aplicação de imunizantes às 10h de quarta (20/1). O Metrópoles procurou a Secretaria de Saúde do DF, para confirmar a data de início da campanha na capital, e aguardava retorno até a publicação desta reportagem.

Em 18 de dezembro de 2020, o secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto, havia detalhado que a imunização contra Covid-19 ocorreria em quatro etapas, destinadas a 678.750 pessoas. Na primeira fase — que inclui profissionais de saúde, idosos com 75 anos ou mais, e pessoas a partir de 60 anos que vivem em instituições de longa permanência —, o DF previa vacinar 189.514 pessoas.

Contudo, a quantidade de imunizantes que chega nesta segunda-feira servirá para vacinar 52.980. A pasta ainda não informou quando receberá as doses que faltam.

Forças Armadas vão auxiliar na operacionalização da vacinação para Covid-19

O objetivo é auxiliar o Ministério da Saúde na execução do plano nacional de vacinação contra a Covid-19, iniciado nesta segunda

Flávia Said | Publicada em 18/01/2021 10:20

O Ministério da Defesa autorizou as Forças Armadas a apoiarem o Ministério da Saúde na execução do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

A autorização está em portaria publicada nesta segunda-feira (18/1) no Diário Oficial da União (DOU), assinada pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva.

Entre as atribuições, está a de contribuir e estabelecer ligações com as secretarias de Saúde estaduais, com o propósito de prestar apoio logístico e ações de comando e controle.

Nesta segunda-feira, o governo inicia a entrega dos lotes de vacinas aos estados, com apoio de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

PORTAL AEROFLAP


Atualizado: Aeronaves da FAB irão transportar vacinas da Covid-19 para o Distrito Federal e mais 10 estados


André Magalhães | Publicada em 18/01/2021

O Ministério da Defesa informou que aeronaves da FAB vão realizar o transporte de vacinas contra a Covid-19, a partir desta segunda-feira (18). 

Os voo tem como local de partida a cidade de São Paulo e de lá segue com 44 toneladas de vacinas, inicialmente para o Distrito Federal e para outras capitais de 10 estados, como: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina.

As aeronaves C-130 Hércules, operadas pelo Esquadrão Gordo (1°/1° GT), realizarão os voos para Brasília (DF), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO).

Os aviões C-105 Amazonas, operados pelo Esquadrão Onça (1°/15° GAV), realizarão o transporte das vacinas para Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS).

Já os aviões KC-390 Millennium, operados pelo Esquadrão Zeus (1° GTT), realizarão transporte dos imunizantes para as cidades de Goiânia (GO), Teresina (PI) e Fortaleza (CE).

Por fim, duas aeronaves C-97 Brasília, operadas pelos Esquadrões Tracajá (1º ETA) e Cobra (7º ETA), realizarão voos para Macapá (AP) e Tabatinga (AM), respectivamente.

A previsão de chegada das aeronaves da FAB será divulgada à medida que as aeronaves decolarem no decorrer desta segunda-feira (18).

Operações Logísticas e transportes de pacientes:

A FAB está engajada para transportar cerca de 235 pacientes de Manaus para outras capitais, entre os estados já atendidos, estão Teresina/PI, São Luís/MA, Natal/RN, João Pessoa/PB e o Distrito Federal.

Em continuidade às missões que têm como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde de Manaus (AM). A Força Aérea Brasileira está realizando voo com diversos equipamentos hospitalares para ajudar a demanda na capital amazonense.

Diversos voos ligando com destino a Manaus levando insumos hospitalares estão saindo de Brasília, São Paulo, Recife, Belém e Rio de Janeiro.

Fonte de apoio: Ministério da Defesa e FAB

C-130 Hércules transporta vacinas de São Paulo para Brasília


Gabriel Centeno | Publicada em 18/01/2021

Um C-130 Hércules do Esquadrão Gordo da Força Aérea Brasileira (FAB) transportou vacinas contra o COVID-19 de Guarulhos (SP) para Brasília (DF). A aeronave decolou de São Paulo às 12h55 e pousou na capital federal por volta das 14h47.

A FAB começou hoje (18) o transporte do imunizante, cujo uso emergencial foi aprovado pela ANVISA no domingo (17). Hoje pela manhã um KC-390 Millennium e um C-105 Amazonas transportaram vacinas para Goiânia e Florianópolis, respectivamente. 

Além das cidades já citadas, a Força Aérea vai transportar as vacinas para Manaus, Boa Vista, Rio Branco, Porto Velho, Campo Grande, Teresina, Fortaleza, Macapá e Tabatinga. 

PORTAL AEROIN


FAB muda de São Paulo para Brasília seu hub de envio de oxigênio a Manaus


Murilo Basseto | Publicada em 18/01/2021

Desde domingo (17), a Força Aérea Brasileira (FAB) passou a realizar o transporte dos tanques de oxigênio líquido para Manaus a partir da Ala 1, em Brasília (DF), promovendo, desta forma, maior agilidade no cumprimento das missões, com menor tempo de resposta e aumento da capacidade de transporte dos tanques nas aeronaves.

Para tanto, a White Martins, empresa que abastece de oxigênio a cidade de Manaus (AM) neste momento de pandemia, transferiu o seu hub, ou seja, o centro de distribuição dos tanques de oxigênio líquido, de Guarulhos (SP) para a capital federal.

Com a mudança, a FAB poderá otimizar o transporte, aumentando também a carga a bordo já que as aeronaves passam a precisar de menos peso de combustível. O primeiro voo de Brasília decolou no domingo, às 18h55, com dez tanques de oxigênio líquido, totalizando 13,5 toneladas.

O novo hub será um centro de distribuição ou ponto de referência em Brasília (DF), para que as aeronaves façam o carregamento e descarregamento dos tanques de oxigênio líquido, a fim de abastecer os hospitais da capital amazonense, que sofrem com a falta do insumo para tratar pacientes com o novo Coronavírus.

Por conta da crescente demanda, e da localização geográfica da capital do Brasil com todos os Estados, a Força Aérea passa a atender com maior rapidez aos deslocamentos. O reabastecimento dos tanques de oxigênio, feito pela empresa White Martins, passará também a ser feito no Terminal de Carga de Brasília, na Ala 1, onde uma estrutura foi adaptada para as novas demandas, bem como a atuação do efetivo da unidade militar.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19.

Desde que foram intensificadas as missões de Transporte Aéreo Logístico para Manaus, há dez dias, a FAB atingiu a marca de mais de 200 horas voadas e mais de 180 toneladas transportadas.

Estão em constate operação as aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules, e C-105 Amazonas, que fazem o transporte de insumos, tanques de oxigênio líquido e de cilindros de oxigênio, além do C-99, responsável pelo transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do País.

Informações da FAB

OUTRAS MÍDIAS


MAIS GOIÁS - Aeronave da FAB com vacina contra covid-19 pousa em Goiânia

Goiás tem 87.172 doses do imunizante até o momento

Eduardo Pinheiro | Publicada em 18/01/2021 12:10

A aeronave KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB) com as primeiras 87.172 doses de vacina contra covid-19 pousou por volta das 11h30 no Aeroporto de Goiânia. Os imunizantes estavam no centro de distribuição, em São Paulo. A vacinação no estado está marcada iniciar para as 17h em Anápolis e Goiânia.

O estado deve receber na primeira fase 182.400 dosses da vacina desenvolvida pelo Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. Os primeiros grupos a serem vacinados são idosos em instituições como asilos, pessoas com deficiência em instituições, indígenas e profissionais de saúde da linha de frente de combate à covid-19.

A CoronaVac chega ao estado menos de 24 horas depois de liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que ocorreu no domingo (17). Além da vacina do Butantan o órgão também liberou no Brasil o uso emergencial da Astrazeneca, desenvolvida pela Universidade Oxford em parceria com a FioCruz.

AGORA RN - Pacientes do Amazonas com Covid-19 chegam ao RN; “Operação humanista”, diz secretário

Pacientes vieram para Natal, de avião, por causa do colapso no sistema de saúde da capital amazonense, provocado pela falta de oxigênio hospitalar

Da Redação | Publicada em 18/01/2021 07:29

O Rio Grande do Norte recebeu na madrugada desta segunda-feira (18) 12 pacientes oriundos de Manaus (AM). Acometidos com Covid-19, eles foram transferidos para Natal, de avião, por causa do colapso no sistema de saúde da capital amazonense, provocado pela falta de oxigênio hospitalar.

O avião pousou às 2h50 na Base Aérea de Natal, em Parnamirim. A operação, coordenada pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), contou com apoio da Força Aérea Brasileira (FAB), que fez o transporte dos enfermos e da equipe médica, das forças de segurança estaduais e federais, da Samu Natal e RN e também da Secretaria de Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

O secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, acompanhou a chegada do voo e deu as boas-vindas oficialmente aos amazonenses. “Trata-se de uma operação humanista, de amor ao próximo, de grande relevância para a saúde pública na defesa da vida dos amazonenses, que aqui chegam e que são bem acolhidos para serem atendidos”, declarou.

Inicialmente, seriam 10 pacientes transferidos para Natal, mas o Amazonas solicitou mais duas vagas à rede estadual hospitalar do RN. Dois pacientes foram levados para o Hospital Giselda Trigueiro e 10 estão no Hospital Universitário Onofre Lopes (Huol), que integra a rede de instituições coordenada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e está recebendo pacientes do Amazonas em diversos estados brasileiros.

“Tudo está preparado para que os pacientes recebam o tratamento da melhor forma possível. Aqui no Rio Grande do Norte, teremos todo apoio tanto da equipe do Huol como do Giselda e da Sesap para garantir informações aos familiares e o devido apoio à distância com a secretaria de saúde do Amazonas”, afirmou Cipriano. Segundo ele, o RN não corre risco de sofrer com a falta de oxigênio, fato garantido pela empresa que fornece o insumo ao estado.

“Tivemos uma decisão precavida, lá no início da pandemia, de instalarmos tanque de oxigênio em toda rede hospitalar do estado. Só tem um hospital que não tem e já estamos providenciando a instalação. Portanto, não temos risco imediato a não ser que haja problema de grande proporção”, explicou. Mas, mesmo com disponibilidade de leitos e com a chegada da vacina, ele faz um alerta para a população manter os cuidados de prevenção, como uso da máscara, álcool 70º e distanciamento social.

DEFESA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS - FAB realiza transporte de vacinas para diversas cidades brasileiras


Publicada em 18/01/2021 11:42

Com a aprovação do uso emergencial, no Brasil, das vacinas para o combate à COVID-19, a Força Aérea Brasileira (FAB) empregará diversas aeronaves para a distribuição dos imunizantes, a partir desta segunda-feira (18). O primeiro dia de distribuição contará com, pelo menos, nove voos para cidades diferentes. 

As aeronaves C-130 Hércules, operadas pelo Esquadrão Gordo (1°/1° GT), realizarão os voos para Brasília (DF), Manaus (AM), Boa Vista (RR), Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO). Os aviões C-105 Amazonas, operados pelo Esquadrão Onça (1°/15° GAV), realizarão o transporte das vacinas para Florianópolis (SC) e Campo Grande (MS). Já os aviões KC-390 Millennium, operados pelo Esquadrão Zeus (1° GTT), realizarão transporte dos imunizantes para as cidades de Goiânia (GO), Teresina (PI) e Fortaleza (CE). Por fim, duas aeronaves C-97 Brasília, operadas pelos Esquadrões Tracajá (1º ETA) e Cobra (7º ETA), realizarão voos para Macapá (AP) e Tabatinga (AM), respectivamente.

O Transporte Aéreo Logístico continuará no dia seguinte, terça-feira (19). Somente neste início da operação, a FAB deve transportar 44 toneladas de vacinas.

Segundo o Comandante do Esquadrão Onça, Tenente-Coronel Aviador Marcelo Alexandre Browne Issa, responsável por uma das Unidades Aéreas envolvidas na missão, este é um momento gratificante. “Esta é a primeira decolagem de muitas que a FAB realizará para o transporte das vacinas. A importância é imensurável, pois estamos somando esforços e fazendo o nosso melhor para atender aos anseios de todos os brasileiros”, disse.

De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas serão usadas, preferencialmente, para uso em programas de saúde pública e, inicialmente, destinadas para imunização de pessoas de grupos de risco como indígenas, idosos e profissionais de saúde.

As Forças Armadas estão, desde o início da Operação Covid-19, dedicando todos os seus esforços no apoio à população brasileira, no enfrentamento à pandemia da COVID-19 e, a partir deste momento, estão concentrando seus esforços no apoio à vacinação. 

Operação COVID-19

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19.

Acompanhe a página especial sobre a atuação da FAB na Operação COVID-19.

Confira mais fotos da Operação COVID-19 no Flickr oficial da FAB.

Fotos: Capitão Cláudio / 1°GTT; Tenente Assis / 1°/15° GAV; Soldados Siqueira e Jesus Alves/ BASP.

PIAUÍ HOJE - Avião da FAB com as vacinas do Piauí acaba de aterrissar em Teresina

Durante a cerimônia de vacinação serão imunizados cinco profissionais de saúde que exercem trabalham unidades hospitalares que compõem a Rede Estadual

Cintia Lucas | Publicada em 18/01/2021 15:04

O avião com as 61 mil doses que serão usadas no Piauí para a vacinação dos primeiros grupos prioritários acaba de aterrissar no aeroporto Petrônio Portella, em Teresina. De lá, as vacinas seguem para os pontos de distribuição. O Governo do Estado do Piauí, através da Secretaria de Estado da Saúde, realiza nesta segunda-feira, 18, às 17 horas, a imunização dos primeiros piauienses contra a Covid-19. A cerimônia será realizada no pátio da Sesapi.  

Durante a Cerimônia serão imunizados cinco profissionais de saúde que exercem trabalham unidades hospitalares que compõem a Rede Estadual. Os profissionais atuam nos Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella; Hospital Getúlio Vargas; Hospital da Polícia Militar; Hospital Infantil Lucídio Portella e Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Serão imunizados o médico obstetra Joaquim Vaz parente, de 75 anos, que atua há 45 anos na da Maternidade Dona Evangelina Rosa, já realizou em torno de 20 mil partos em toda sua vida profissional, e fez o terceiro parto da história da MDER; a enfermeira Sheyla Barbosa dos Santos de 33 anos, que atua na UTI Covid-19 do Hospital Natan Portella, e foi responsável por receber o primeiro paciente com o vírus na unidade de saúde; A técnica de enfermagem Marta Regina de Sousa Madeira, de 42 anos, funcionária do Hospital Getúlio Vargas também receberá a dose de CoronaVac; A enfermeira da UTI Covid-19, do Hospital Infantil Lucídio Portella, Modestina Bezerra da Silva, de 60 anos, é outra que está entre os profissionais que serão vacinados nesta tarde, ela é técnica de enfermagem e atua há 35 anos na unidade saúde e do Hospital da Polícia Militar será a enfermeira, da ala Covid-19, Ana Maria Brito dos Santos, de 52 anos, ela atua há 26 anos na profissão.

O Piauí está recebendo do Ministério da Saúde 61.160 doses da vacina CoronaVac. Serão 28.651 mil doses para profissionais da saúde, 10 para pessoas com deficiência institucionalizadas, 460 doses para pessoas com mais de 60 anos institucionalizadas e 21 para indígenas vivendo em terras demarcadas. O quantitativo engloba tanto a primeira e a segunda dose da vacina para os grupos previstos na primeira fase de vacinação do estado do Piauí.

GP1 - Avião com primeiras doses da vacina Coronavac pousa em Teresina

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 10h30 de hoje e chegou em Teresina por volta de 15h.

Fábio Wellington E Davi Fernandes | Publicada em 18/01/2021 16:25

O avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com as primeiras 61.160 mil doses da vacina Coronavac pousou na tarde desta segunda-feira (18), por volta das 15h, no Aeroporto Petrônio Portella, localizado na zona norte de Teresina.

A aeronave decolou do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, por volta das 10h30 de hoje, logo após o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello autorizar o início da vacinação já nesta segunda em todo o país.

O Piauí inicia ainda hoje a vacinação com a Coronavac. Cinco profissionais da saúde que trabalham nas unidades hospitalares que compõem a Rede Estadual serão os primeiros que serão vacinados. A cerimônia será realizada no pátio da Sesapi, às 17 horas.

Os profissionais atuam nos Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella; Hospital Getúlio Vargas; Hospital da Polícia Militar; Hospital Infantil Lucídio Portella e Maternidade Dona Evangelina Rosa.

Serão 28.651 mil doses para profissionais da saúde, 10 para pessoas com deficiência institucionalizadas, 460 doses para pessoas com mais de 60 anos institucionalizadas e 21 para indígenas vivendo em terras demarcadas. O quantitativo engloba tanto a primeira e a segunda dose da vacina para os grupos previstos na primeira fase de vacinação do estado do Piauí.

Uso emergencial aprovado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, na tarde deste domingo (17), por unanimidade, o uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford/AstraZeneca.

A reunião extraordinária que teve início às 10h10 e terminou às 15h20, contou com a votação de cinco diretores: Meiruze Sousa Freitas (relatora); Antonio Barra Torres (diretor-presidente); Cristiane Rose Jourdan Gomes (médica e bacharel em direito); Romison Rodrigues Mota - substituto (servidor da Anvisa); e Alex Machado Campos (advogado).

A diretora da Anvisa e relatora, Meiruze Freitas, votou pela aprovação e destacou que é preciso que o Instituto Butantan assine um termo de compromisso para apresentar dados de imunogenicidade da vacina até 28 de fevereiro (os relatórios sobre o tema foram considerados insuficientes). O termo assinado foi publicado em Diário Oficial da União.

Já a decisão sobre a vacina de Oxford vale apenas para o uso das 2 milhões de doses que o governo ainda tenta importar da Índia.