NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


AGÊNCIA BRASIL


Exercício militar reúne mil homens no Rio de Janeiro

Operação Poseidon contou com porta-helicópteros

Publicada em 09/10/2020 21:07

Uma operação conjunta, envolvendo Exército, Marinha e Aeronáutica, reuniu cerca de mil homens das três forças, com o apoio do Porta-Helicópteros Atlântico, nesta sexta-feira (9), no Rio de Janeiro. O exercício militar foi parte da Operação Poseidon e contou com as presenças do ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, e do comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior.

A operação consistiu em adestrar pilotos do Exército e da Força Aérea à rotina operacional do porta helicópteros da Marinha, unificando procedimentos e linguagens. A missão era levar grupos de Forças Especiais ao teatro de operações em terra e posteriormente resgatá-los, trazendo as equipes à bordo em segurança.

“Hoje é um dia especial, pois eu venho participar de um exercício conjunto, envolvendo a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea. Pela primeira vez colocamos em ação os helicópteros H-XBR [H 225M fabricado pela Helibras, versão do Super Puma da Airbus Helicopters], projeto que vem desde 2008. Testamos a mesma aeronave das três forças, pousando e se adestrando ao navio. Outro objetivo foi ter as tropas de Forças Especiais agindo conjuntamente, da Marinha, do Exército e da Força Aérea”, disse o ministro, durante coletiva de imprensa em alto mar.

Azevedo e Silva lembrou que o país atravessa um ano difícil, mas que isso não impediu as Forças Armadas de cumprirem suas missões principais.

“Pudemos realizar 17 operações conjuntas, fora as atividades normais, que não pararam, tomando os devidos cuidados, na formação dos soldados, dos sargentos, dos oficiais. Tomamos conta da faixa de fronteira, do espaço aéreo, do nosso Atlântico Sul. Foi um ano difícil para as Forças Armadas, mas fizemos o dever de casa. Estamos na Operação Verde Brasil 2, na operação [de combate ao fogo] no Pantanal, na Operação Acolhida [de refugiados venezuelanos]. As Forças Armadas têm contribuído muito para o Brasil”, frisou o ministro.

Orçamento 2021

Quanto às prioridades orçamentárias para o próximo ano, o ministro disse que não haverá novos projetos, mas a continuidade das ações que já estão em andamento: “O presidente Jair Bolsonaro enviou a política nacional de defesa para apreciação do Congresso e ele manteve todos os projetos estratégicos que estavam em vigor. Então não tem projetos novos. Precisamos andar com os projetos que já existem”.

O comandante da Marinha reforçou que haverá continuidade nos programas em curso. “No programa de desenvolvimento de submarinos, o Riachuelo já está em testes finais. Em dezembro será o lançamento do submarino Humaitá e outros seguirão, conforme o estabelecido. Nós temos as fragatas classe Tamandaré, que estão em fase de contrato já em andamento, sem nenhuma interrupção. Temos aeronaves remotamente pilotadas, bastante simples, para podermos dar início a esse projeto. Na verdade, é manter o que está na Política Nacional de Defesa, prestigiando, sempre que possível, a base industrial de defesa brasileira”, frisou almirante Ilques.

Porta-Helicópteros

O Porta-Helicópteros Atlântico, construído em 1998, foi comprado da marinha britânica em 2018. Ele comporta em seu hangar 12 aeronaves de médio porte e quatro de pequeno porte, podendo transportar 800 fuzileiros navais. Com 208 metros de comprimento e sete posições para pouso de aeronaves em seu convés, o Atlântico é o navio capitânia da Esquadra Brasileira.

PORTAL AEROFLAP


Esquadrilha da Fumaça realiza treinamentos no Nordeste e no Centro-Oeste do Brasil


Redação E Agência Força Aérea | Publicada em 09/10/2020 09:18

Entre os dias 24 de setembro e 9 de outubro, o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA) da Força Aérea Brasileira (FAB), a Esquadrilha da Fumaça, realizou um circuito de treinamento operacional nas cidades de Natal (RN) e Anápolis (GO), visando a manutenção da operacionalidade dos pilotos, mecânicos e equipe de apoio do EDA.

Ver a Esquadrilha da Fumaça sobrevoando uma cidade é uma cena comum aos finais de semana em todas as regiões do Brasil. É sinal de que em breve haverá uma demonstração para um grande público.

Contudo, com as orientações sanitárias e de distanciamento social decorrentes da pandemia do novo Coronavírus, essa cena teve uma pausa com a suspensão temporária da agenda de demonstrações da Fumaça.

Todavia, a rotina de treinamentos do Esquadrão não sofreu alterações. Como parte desses treinamentos, tanto dos pilotos, quanto da manutenção e equipe administrativa, a Esquadrilha da Fumaça decolou no dia 24 de setembro para um circuito de treinamento operacional.

O primeiro destino foi a cidade de Natal, onde está localizada a Ala 10, com escala na Base Aérea de Salvador (BASV); e, no dia 4 de outubro, partiu com destino à Anápolis (GO), Ala 2, para uma série de procedimentos fora de sede.

“Além dos voos e manutenção, que são corriqueiros para o efetivo do Esquadrão, é imprescindível manter a equipe operacional com os procedimentos que, em tempos normais, são parte da rotina para todos. Isso inclui desde todos os processos logísticos e interações com equipe de apoio, a demonstração em diferentes condições climáticas e geográficas, assim como lidar com manutenções necessárias fora de sede”, explica o Comandante do EDA, Tenente-Coronel Aviador Marcelo Franklin.

“A experiência operacional é fundamental para que o desempenho das demonstrações permaneça com o elevado índice de segurança apresentado ao longo dos anos”, completa o Comandante.

Durante o período, não há demonstração prevista para o público, sendo os treinamentos realizados em áreas isoladas e distantes de áreas habitadas. Além da operacionalidade da equipe, o circuito de treinamento prevê, dentre outras, uma série de atividades para o Esquadrão, tais como treinar o perfil de demonstração ao nível do mar e também em grande altitude, que afetam o desempenho da aeronave; permitir ao piloto o treinamento de voo por instrumentos (IFR, do inglês Instrument Flight Rules), incluindo descidas IFR em outras localidades; e também realizar treinamentos previstos no Programa de Instrução e Manutenção Operacional nos simuladores de voo do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (2°/5° GAV) – Esquadrão Joker, que também opera o A-29 Super Tucano e que oferece apoio logístico ao efetivo do EDA no local.

A agenda de demonstrações da Esquadrilha da Fumaça continua suspensa, sem previsão de retorno, em decorrência da pandemia provocada pela COVID-19.

PORTAL DEFESANET


Ministro da Defesa participa de reunião com o Alto-Comando da Aeronáutica

O encontro foi realizado nessa quarta-feira (7), no Comando da Aeronáutica, em Brasília (DF)

Agência Força Aérea | Publicada em 09/10/2020 10:10

O Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, participou, nessa quarta-feira (7), em Brasília (DF), de reunião com o Alto-Comando da Aeronáutica. No encontro, que está na 642ª edição, foram abordados temas de interesse da Força Aérea Brasileira (FAB).

Na ocasião, o Ministro destacou algumas atividades prioritárias relacionadas à Pasta e agradeceu a participação da FAB nas Operações da Defesa. "O apoio e a pronta-resposta da Força Aérea no emprego dos seus meios foi muito importante para alcançarmos os resultados esperados", disse.

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, comentou sobre a visita do Ministro Fernando Azevedo e Silva. "Para nós, da Força Aérea Brasileira, é uma grata satisfação receber o Ministro da Defesa e conhecer a sua percepção acerca das nossas principais ações em curso", declarou.

Alto-Comando

O Alto-Comando da Aeronáutica é o órgão encarregado de assessorar o Comandante nas suas atribuições de direção e gestão da Força, cabendo, também, apreciar os assuntos de interesse da FAB, elaborar as listas de escolhas para promoção aos postos de Oficiais-Generais e assessorar o Comandante nos assuntos relativos à Política Militar Aeronáutica.

MINISTÉRIO DA DEFESA


Centro de Instrução de Operações Urbanas ministra estágio conjunto para cadetes da AMAN e da AFA


Redação | Publicada em 09/10/2020 16:08

Entre 5 e 9 de outubro, o 28° Batalhão de Infantaria Leve (28° BIL), por meio do Centro de Instrução de Operações Urbanas (CIOU), realizou o primeiro Estágio de Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em Campinas, São Paulo. A capacitação envolveu 39 Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) e 25 da Academia da Força Aérea (AFA).

Nessa capacitação, os jovens oficiais receberam instruções teóricas e práticas, de modo a padronizar conhecimentos, técnicas, procedimentos, esforços e cuidados em operações de GLO. Foram executadas atividades de combate urbano, como: combate em recinto confinado, patrulhamento em área urbana, posto de bloqueio e controle de vias, posto de segurança estático, operação de busca e apreensão e primeiros socorros em combate.

Ao final das operações, os estagiários expressaram suas opiniões sobre a atividade. “Acredito que o estágio foi incrível, não só pelo conhecimento passado, mas também pela experiência de missões reais que a equipe de instrução pôde passar. O contato com cadetes da AFA foi uma ótima oportunidade de conhecer e entender como funciona a vida profissional e operacional do oficial da Força Aérea”, disse o Cadete Sotolani, da AMAN.

O Cadete Fabretti, da AFA, pôde rever amigos e conhecer um pouco mais do Exército. “Esse contato deixou o estágio mais interessante e favoreceu a troca de conhecimento”, concluiu.

Para o Comandante do Batalhão e Diretor de Ensino do CIOU, Tenente-Coronel Túlio Marcos Santos Cerávolo, foi uma oportunidade única de interagir desde os bancos escolares e de levar as amizades conjuntas ao longo da carreira. “Ao concluírem o Estágio, estarão aptos a difundirem os conhecimentos adquiridos, sendo, então, vetores multiplicadores em seus Comandos Militares de origem”, afirmou.

OUTRAS MÍDIAS


AGÊNCIA SERTÃO - Pela primeira vez, uma mulher ocupará o posto de brigadeiro da Força Aérea Brasileira


Joana Martins | Publicada em 09/10/2020 14:19

A Força Aérea Brasileira (FAB) terá pela primeira vez em seus 79 anos de história uma mulher no posto de Brigadeiro, o primeiro de oficial general, correspondendo ao código OF-6 (general de uma estrela) da OTAN. A escolhida para ocupar o cargo foi a atual diretora do Hospital Central da Aeronáutica, a  Coronel Carla Lyrio Martins, que faz parte do Quadro de Oficiais Médicos da Força Aérea Brasileira.

A Coronel, que ingressou na Força Aérea em 1990, é especialista em Medicina Aeroespacial, Hematologia e Hemoterapia, e possui Pós-Graduação em Vigilância Sanitária e Epidemiológica e em Desenvolvimento Gerencial na Gestão de Serviços de Saúde. Integrou o corpo clínico do Esquadrão de Saúde da Academia da Força Aérea (AFA), da Base Aérea de Fortaleza, do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e do Hospital da Força Aérea do Galeão (HFAG).

Além disso, Carla já chefiou o Serviço de Hemoterapia, a Comissão de Infecção Hospitalar, o Serviço de Hematologia e a Divisão Médica do HFAG. Casada com o Coronel Aviador João Pedro Martins e mãe de dois filhos, Bruna e João Pedro, ela ocupará o posto de Brigadeiro a partir de 25 de novembro.

Vale lembrar que as primeiras mulheres oficiais aviadoras da Força Aérea Brasileira foram formadas na Academia da Força Aérea em 2006 e atualmente estão no posto de Major. A Marinha do Brasil também conta em suas fileiras com a Contra-Almirante Luciana Mascarenhas da Costa Marroni e com a Contra-Almirante Dalva Maria Carvalho Mendes, esta última a primeira mulher oficial-general do Brasil.