NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL DEFESANET


Unidades da FAB de todo o Brasil se reúnem no RS para Exercício Operacional Tínia


Defesanet | Publicada em 09/11/2020 09:09

A Força Aérea Brasileira (FAB) realiza no Sul do País, de 5 a 27 de novembro, o Exercício Operacional (EXOP) Tínia, treinamento militar que simulará o ambiente de uma guerra aérea convencional.

As atividades aéreas e terrestres ocorrerem nas Alas 3 e 4, Organizações Militares subordinadas ao Comando de Preparo da Aeronáutica (COMPREP) localizadas em Canoas (RS) e Santa Maria (RS) respectivamente.

Este Exercício Operacional faz parte do calendário anual da FAB e tem como objetivo manter a operacionalidade da Força e de seus Esquadrões Aéreos, assim como dos Controladores de Tráfego Aéreo, dos Grupos de Defesa Antiaérea e de Comunicações e Controle, responsáveis pelo armamento e pelos radares e vigilância do espaço aéreo.

O treinamento visa simular um ambiente de guerra aérea convencional, também chamada de guerra regular, ou seja, quando há um conflito entre forças armadas de dois países ou alianças de Nações, por meio de combates aéreos que simulam a disputa de um território.

O EXOP Tínia terá a participação de Esquadrões Aéreos advindos de todas as regiões do Brasil e mais de 35 aeronaves das Aviações de Caça, Reconhecimento, Asas Rotativas e Transporte.

Também estarão envolvidas as unidades da FAB: Segundo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II); Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º GCC); Grupos de Defesa Antiaérea (1º, 2º e 3º GDAAE) e, do Exército Brasileiro, o Terceiro Grupo de Artilharia Antiaérea (3º GAAAE).

Entre as aeronaves empregadas, estão os caças F-5M, A-1M e A-29; a aeronave-radar E-99; a aeronave de reconhecimento R-35; além das aeronaves de apoio e transporte logístico: C-99; C-130; C-105; KC-130 Hércules; KC-390 – novo cargueiro multimissão da FAB; e o helicóptero H-60L Black Hawk.

A Ala 3 – Base Aérea de Canoas e a Ala 4 – Base Aérea de Santa Maria receberão mais de 400 militares do efetivo de Unidades distribuídas por todo o País.

Ao longo dos seus 23 dias de duração, serão praticadas diversas simulações de ações como: Escolta, Reconhecimento Aéreo, Controle e Alarme em Voo, Ataque, Varredura, Reabastecimento em Voo, Posto de Comunicação no Ar, Defesa Aérea, Defesa Antiaérea e Transporte Aéreo Logístico. Os voos serão realizados em espaço aéreo reservado, localizado ao Sul do Estado, entre as duas cidades que sediam o exercício.

A área escolhida não afetará a circulação aérea geral. O Diretor do Exercício (DIREX) e Comandante da Ala 3, Brigadeiro do Ar Mauro Bellintani, ressalta a importância do treinamento para a FAB.

“O objetivo desse Exercício é treinar guerra aérea convencional, para manter a operacionalidade da Força. E todo treinamento de grande porte se torna desafiador, pois cada vez mais nos exige competências diferenciadas no adestramento de todas as nossas capacidades”.

O COMPREP está à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos nacionais ao perfil comumente encontrado no cenário internacional. Um dos benefícios do EXOP Tinia é a capacidade de treinar a coordenação das manobras entre as duas localidades, Canoas e Santa Maria, podendo reunir mais de 20 aeronaves em uma mesma missão aérea composta.

SIGNIFICADO – Baseado na Mitologia Etrusca – povo que viveu na região da atual Toscana, na Itália – a palavra “Tínia” significa “Deus do Céu”, equivalente ao Deus Grego Zeus e ao Deus Romano Júpiter.

Como um dos pilares do exercício operacional é o combate BVR (do inglês, Beyond Visual Range, ou seja, além do alcance visual) e o domínio do espaço aéreo, nada mais significativo que denominar o Exercício com o “Deus do Céu”!

O EXOP TÍNIA está na sua segunda edição, sendo a primeira ocorrida em 2019, neste mesmo período e nas mesmas localidades do Sul do País.

PANDEMIA – Devido ao enfrentamento da emergência de saúde pública de importância nacional, em decorrência da pandemia internacional do novo corona vírus, e segundo as orientações contidas na Portaria nº 358/GC3 do COMAER, referente as ações de combate ao COVID-19, a FAB informa que serão aplicadas todas as medidas de distanciamento e de proteção individual de todos os participantes.

PORTAL AEROFLAP


Obras de revitalização do aeródromo de Santa Maria (RS) são concluídas


Por André Magalhães | Publicada em 09/11/2020 11:16

Um ato simbólico, realizado no dia 26 de outubro, marcou a inauguração de duas importantes obras no aeródromo de Santa Maria (RS). O evento, que celebrou a conclusão dos trabalhos de ampliação do estacionamento de aeronaves e da modernização do sistema de sinalização luminosa, foi realizado no Auditório da Ala 4.

A solenidade contou com a presença do Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno; do Senador Luiz Carlos Heinze; do Secretário-Executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio Cunha Filho; do Secretário Nacional de Aviação Civil, Ronei Saggioro Glanzmann; do Diretor do Departamento de Investimentos da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Eduardo Henn Bernardi; do Comandante da Ala 4, Coronel Aviador Wilson Paulo Corrêa Marques; além de Oficias-Generais da Força Aérea Brasileira e de autoridades civis ligadas ao Aeroporto Municipal de Santa Maria. A cerimônia seguiu todos os protocolos de segurança previstos para o enfrentamento ao novo Coronavírus.

As obras de revitalização da infraestrutura aeroportuária de Santa Maria foram iniciadas em 2018, por meio do Plano de Investimentos MT01199, firmado entre o Comando da Aeronáutica (COMAER) e a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC). “É indubitável que essas obras proporcionam uma enorme melhoria da infraestrutura e um aumento da segurança de voo, tanto para as operações militares quanto para a aviação civil”, destacou o Tenente-Brigadeiro Damasceno.

A conclusão dos empreendimentos destaca a sinergia entre o Ministério da Infraestrutura, por meio da Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) e o Ministério da Defesa, por meio do Comando da Aeronáutica. Na prática, o fim dos trabalhos representa um importante passo no cumprimento da missão do Comando da Aeronáutica de integração do território nacional, fundamental para o alcance dos objetivos estratégicos do País.   

Já são mais de nove projetos que o Ministério da Infraestrutura tem em conjunto com o COMAER para desenvolver a aviação civil e a aviação militar em todo País. “É uma alegria estarmos aqui entregando uma obra que representa segurança e crescimento para a região. O Rio Grande do Sul nunca recebeu tantos investimentos simultâneos em aeroportos que ampliassem a conectividade do estado, gerando desenvolvimento econômico e integrando cada vez mais o nosso extremo sul ao restante do nosso país continental. Podemos dizer que o estado está muito bem servido em termos de infraestrutura aeroportuária e, também, do ponto de vista de operação”, afirmou o Secretário Executivo do Ministério da Infraestrutura.

Modernização do Sistema de Sinalização Luminosa do Aeródromo de Santa Maria

Conhecida como Operação Coruja, a obra iniciou em 2018 e durou pouco mais de um ano. Com a sua conclusão, além da economia de cerca de 60% no consumo de energia elétrica, o novo sistema faz com que o aeródromo de Santa Maria passe a dispor de equipamentos modernos que proporcionarão mais segurança às operações aéreas, tanto militares quanto civis.   

O trabalho foi executado pela Unidade Móvel de Engenharia (UME) sob coordenação da Diretoria de Infraestrutura da Aeronáutica (DIRINFRA). Participaram da Operação militares de diversas Organizações cujo trabalho resultou na instalação de 375 luminárias de LED e cerca de 35 quilômetros de cabos que abrangem a pista principal, a pista auxiliar, seis taxiways e o heliponto.     

Durante a obra, o aeródromo permaneceu em pleno funcionamento graças ao Sistema Luminoso Tático Autônomo (SLTA) – um sistema de luminárias móveis, acionadas remotamente e carregadas por energia solar que possibilita um ganho para a segurança dos militares participantes da Operação, pois permitiu a desativação do sistema de sinalização luminosa antigo enquanto estava em curso a modernização da sinalização luminosa do aeródromo.

Ampliação do pátio de estacionamento de aeronaves
A obra permitiu a união entre os pátios administrados pela Ala 4 e a Prefeitura de Santa Maria. A ampliação do pátio permitiu ganhos expressivos no aeródromo, tanto pelo aumento de, aproximadamente, 14.300 metros quadrados na área de estacionamento de aeronaves, quanto por sua nova capacidade de operação. Vale destacar que esta obra contou com uma série de desafios durante a sua execução, especialmente no que se refere às características do solo e o elevado índice pluviométrico. Porém, os desafios foram encarados como possibilidades para a criatividade e inovação, de maneira que os processos de gestão puderam ser testados e aplicados na prática.

Uso compartilhado
Em 2015 foi assinado um convênio que transferiu parte da área da atual Base Aérea de Santa Maria para a Prefeitura municipal, que passou a administrar o aeroporto. Trata-se do chamado uso compartilhado – quando no mesmo espaço funciona a base aérea militar e o aeroporto civil, situação que é comum no Brasil. Nestes casos, os terminais de passageiros e de operações militares são separados, mas as aeronaves utilizam as mesmas taxiway e pistas de pousos e decolagens. Atualmente, o aeroporto civil de Santa Maria segue administrado pela Prefeitura da cidade.

KC-390 Millennium transporta 14 toneladas de equipamentos para o Amapá (AP)


Por André Magalhães | Publicada em 09/11/2020 11:16

Neste sábado (07), uma aeronave multimissão KC-390 Millennium da Força Aérea Brasileira (FAB), do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT) – Esquadrão Zeus, transportou mais de 14 toneladas de equipamentos para Amapá (AP). A população do estado está sem o fornecimento de energia elétrica desde a última terça-feira, dia 3 de novembro, após incêndio em uma subestação.

O FAB 2854 decolou da Ala 2, em Anápolis (GO), às 13h10 (horário de Brasília), com destino a Ala 1, em Brasília (DF), onde pousou às 13h30, para carregamento e transporte de 1.200 unidades de baterias do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que serão utilizadas nas urnas para as Eleições 2020, totalizando 2,68 toneladas. A decolagem da Ala 1 foi às 17h55 e o pouso na Ala 8, em Manaus (MN), às 21h, quando dois geradores, com total de 11,4 toneladas, foram carregados. A aeronave pousou em Macapá (AP) às 00h40 deste domingo (08).

 

O piloto do KC-390 Millennium, Capitão Aviador Anderson Dias Santiago, comentou a atuação na missão. “É muito importante prestar este apoio e saber que a Força Aérea, nas asas do KC-390 Millennium, pode transportar parte da solução dos problemas que afetam o estado. Assim, comprova também a pronta-resposta para atendimentos das necessidades da Nação”, disse o Oficial.

A Operação Amapá foi designada pelo Ministério da Defesa e é coordenada pelo Ministério de Minas e Energia. Para reduzir os impactos da falta de energia elétrica, o Gabinete de Crise do Governo Federal acionou o Comando da Aeronáutica (COMAER) para prestar o apoio necessário. A previsão é que sejam transportadas, aproximadamente 51 toneladas de materiais e equipamentos.

FAB transporta cerca de 15,5 toneladas de equipamentos para o Amapá (AP)


Por André Magalhães | Publicada em 09/11/2020 11:16

O C-130 Hércules FAB 2477, da Força Aérea Brasileira (FAB), operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT) – Esquadrão Gordo, continua cumprindo missões em proveito da Operação Amapá. Neste domingo (08), foram transportadas cerca de 15,5 toneladas de carga. 

A aeronave decolou da Ala 8, em Manaus (MN), às 10h35 (horário de Brasília), e pousou em Macapá (AP) às 13 horas, transportando dois geradores, cada um pesando 3,2 toneladas. Foram transportadas, também nesta etapa, 2,68 toneladas de baterias para urnas eletrônicas.

Pós efetuar o descarregamento do material, a aeronave retornou à Ala 8, onde carregou mais dois geradores, totalizando 6,4 toneladas. A decolagem de Manaus ocorreu às 20 horas e o pouso, novamente em Macapá, às 22h20. Os geradores transportados serão utilizados para restabelecer o fornecimento de energia no Amapá.

Conforme o piloto do C-130, Capitão Aviador Rodrigo Vilar Falleiro, o trabalho de toda a tripulação, desde que acionada para a Operação Amapá, é realizado de forma coordenada e precisa. “É uma honra atuar pela Força Aérea Brasileira em prol do povo brasileiro, prestando nosso serviço com profissionalismo e mostrando nossa pronta-resposta em atender às necessidades dos que precisam”, disse.

A Operação Amapá foi designada pelo Ministério da Defesa e é coordenada pelo Ministério de Minas e Energia. Para reduzir os impactos da falta de energia elétrica, o Gabinete de Crise do Governo Federal acionou o Comando da Aeronáutica (COMAER) para prestar o apoio necessário. 

EXOP Tínia reúne mais de 35 aeronaves e 400 militares no RS


Por André Magalhães | Publicada em 09/11/2020 18:32

Mais de 35 aeronaves e cerca de 400 militares do efetivo de Unidades da Força Aérea Brasileira (FAB), distribuídas por todo o País, estão envolvidos no EXOP Tínia, que acontece de 5 a 27 de novembro no Rio Grande do Sul. O Comando de Preparo (COMPREP) está à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos nacionais ao perfil encontrado no cenário internacional.

Este treinamento é fundamental para garantir a continuidade da capacitação operacional dos militares da Instituição e a pronta-resposta para emprego em diversas missões que são executadas pela Força. A manutenção da qualificação e capacitação operacional garantem que os militares estejam preparados para atuar em missões diversas. 

Para garantir a segurança dos participantes e da população local, foi elaborado um plano de biossegurança com base nos protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde para o enfrentamento à COVID-19.

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL


Eletricidade foi restabelecida em 10 municípios do Amapá

Governo Federal dá total suporte às autoridades estaduais e às necessidades da população após incêndio na subestação de Macapá que afetou 13 municípios

Com Informações Dos Ministérios De Minas E Energia | Publicada em 09/11/2020 09:52

Dos 13 municípios do estado do Amapá afetados pelo incêndio na subestação de Macapá no último dia 3 de novembro, 10 tiveram a energia elétrica restabelecida até o fim de semana. O Governo Federal, sob a orientação do Presidente Jair Bolsonaro, dá total suporte às autoridades locais e às necessidades da população.

No sábado (7), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, visitou a subestação danificada pelo incêndio. Em seguida, reuniu-se, na sede do governo do estado do Amapá, com representantes de instituições estaduais e federais (da área jurídica, inclusive), que estão atuando nas ações de restabelecimento da energia.

Também no sábado, navios da Marinha e aviões da Força Aérea começaram a chegar a Macapá, levando geradores, combustíveis, profissionais de saúde e alimentos. Militares do Exército ampliaram a atuação no estado. As ações fazem parte da Operação Amapá, ativada pelo Ministério da Defesa, para coordenar o emprego das Forças Armadas no apoio às ações decorrentes da falta de energia no local.

Os aviões C-130 Hércules e KC-390, da FAB, até o momento, já transportaram para Macapá seis geradores. Na sexta (6), as aeronaves já haviam levado para o Amapá dois geradores, uma carreta e um trator para transporte dos geradores. No total, as aeronaves da FAB já entregaram em Macapá cerca de 29 toneladas de material.

Os Navios Auxiliar Pará e Patrulha Guanabara, do Comando do 4º Distrito Naval, devem chegar, nesta segunda-feira (9), na cidade de Santana (AP). Já o Navio de Desembarque Multipropósito Bahia, da Esquadra Brasileira, tem previsão de chegada na área do Amapá a partir de quarta-feira (10). Eles transportam profissionais de saúde (entre médicos e dentistas), mergulhadores e cerca de 150 Fuzileiros Navais, além de gêneros alimentícios, medicamentos e combustíveis. Após o desembarque do material, combustível e pessoal, o Navio Auxiliar Pará retornará a Belém, para promover o transporte de 70 toneladas de material oferecido pelo Governo do Pará. A carga deve ser entregue no Amapá a partir de quinta-feira (12).

Dois helicópteros Super Cougar, da Marinha, já estão disponíveis no Aeroporto de Macapá para prestar apoio de transporte de pessoal e de material. No fim de semana, apoiaram as inspeções feitas pelo ministro de Minas e Energia e comitiva.

O Exército Brasileiro já emprega atualmente 360 militares e 12 viaturas na operação. O Comando da 22ª Brigada de Infantaria de Selva permanece envolvido nas seguintes ações: apoio no transporte de combustíveis aos hospitais estaduais e municipais da capital e do município de Santana; distribuição de água e montagem de cestas básicas, em conjunto com a Defesa Civil; apoio na instalação de geradores nos laboratórios e clínicas de tratamento da Covid-19; montagem de alojamentos; e, mediante coordenação, apoio em outras necessidades dos órgãos de Defesa Civil do Amapá que estarão atuando na operação.

Linha do tempo

• Em 3/11, incêndio em subestação localizada em Macapá (AP) causou a interrupção no fornecimento de energia de 13 dos 16 municípios do Amapá.
• Em 4/11, o Ministério de Minas e Energia implantou um gabinete de crise. A Prefeitura de Macapá decretou estado de calamidade pública na capital em virtude do apagão. Além disso, o prefeito anunciou a disponibilização de seis carros pipas e emitiu novo decreto autorizando o funcionamento 24 horas de postos de combustíveis (que podiam funcionar, antes, somente das 6h às 22h, em função das restrições impostas pelo combate à Covid-19).
• Em 6/11, o governo estadual decretou estado de emergência em 13 municípios e elencou formalmente via ofício as demandas prioritárias a serem apreciadas pelo Gabinete de Crise.
• Desde a madrugada de 7/11, o fornecimento de energia vem sendo parcialmente restabelecido. Na tarde de 7/11, a Justiça Federal da 1ª Região determinou que a empresa Isolux, companhia responsável pela subestação atingida pelo incêndio, restabeleça completamente o fornecimento de energia no estado do Amapá em até três dias, sob pena de multa.
• Em 8/11, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) divulgou cronograma de racionamento de energia até que o fornecimento de eletricidade seja completamente restabelecido. Equipes da Eletronorte foram destacadas para auxiliar nos trabalhos. A empresa foi autorizada a contratar, de forma emergencial, 60MW de unidades geradoras termelétricas para restabelecer o fornecimento de energia na região.

OUTRAS MÍDIAS


AC24Horas - Militares das Forças Armadas levam serviços de saúde para 8 mil indígenas no Acre


Por Sandra Assunção | Publicada em 09/11/2020 16:25

Equipes do Exército, Marinha e Força Aérea estão desde o dia 3 de novembro e prosseguem até o dia 11 em diversas aldeias indígenas do Acre garantindo serviços de saúde para cerca de 8 mil nativos.

Os atendimentos contam 120 profissionais, sendo 30 de saúde: 14 do Exército, 11 da Força Aérea e 5 da Marinha, oriundos de Organizações Militares de todo o Brasil. A equipe conta com ginecologistas, endocrinologistas, pediatras, gastroenterologistas, veterinários e radiologistas, além de dentistas, farmacêuticos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e auxiliar de veterinária.

Além das consultas, os indígenas são atendidos com testes para a Covid-19, cerca de três toneladas de medicamentos e insumos, como Equipamento de Proteção Individual (EPIs), álcool em gel 70%.

O 61° Batalhão de Infantaria e Selva – 61 BIS, atua na ação. A base de Cruzeiro do Sul apoia os atendimentos nas comunidades indígenas localizadas em Marechal Thaumaturgo e Mâncio Lima.

A logística da operação no Alto Juruá conta com 2 aviões, 2 helicópteros, 10 viaturas e cerca de 120 militares do 61º BIS, além de agentes da SESAI, voltados para o atendimento de aproximadamente 8 mil indígenas.

A Operação é desenvolvida pelos Ministério da Defesa e da Saúde, por intermédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena – SESAI “e visam o esforço coordenado para o atingimento do objetivo precípuo de mitigar os efeitos do COVID-19 nas regiões indígenas do Vale do Juruá, que vem tendo dificuldade no acesso ao atendimento médico-hospitalar especializado, desde o inicio da pandemia”.

Duas bases militares na ação
A Base de Cruzeiro do Sul apoia os atendimentos nas comunidades indígenas dos municípios de Marechal Thaumaturgo e Mâncio Lima. A ação ocorre na mesorregião do Alto Juruá, em coordenação com o Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Rio Juruá (DSEI-ARJ).

Já a Base de Feijó apoia os atendimentos nas Comunidades Indígenas nos municípios de Tarauacá, Jordão e Feijó.

Defesa Agência de Notícias - FAB promove 10º Simpósio de Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa (SERFA 2020)


Da Redação | Publicada em 09/11/2020 15:39

A Força Aérea Brasileira (FAB) realiza, de 2 a 5 de dezembro, o 10º Simpósio de Sensoriamento Remoto de Aplicações em Defesa (SERFA 2020). O evento, que é uma realização do  Instituto de Estudos Avançados (IEAv) é incentivado pelo Ministério da Defesa (MD), conta com apoio do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) e, ainda, tem como parceiro técnico-científico o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). O tema deste ano é “Sensoriamento Remoto e Inteligência Artificial: como computação e crowdsourcing serão o futuro das tecnologias aeroespaciais”. O evento será totalmente on-line, em razão das medidas de enfrentamento ao novo Coronavírus.

O Simpósio reunirá organizações civis, como MundoGEO, parceiro para a divulgação do evento na sociedade civil em diversas áreas que envolvem o uso de sensoriamento remoto, como: geointeligência, geotecnologias, agronegócio, sistemas de vigilância, mapeamento urbano e ambiental, entre outros; Igloo.Network, parceiro para prospecção de startups brasileiras inovadoras atuantes no mercado nacional; e IEEE GRSS & ISPRS, uma das maiores Sociedades Internacionais de pesquisa em Sensoriamento Remoto, bem como militares, as quais representam os diferentes setores do governo, da academia, da indústria e da sociedade. A programação completa pode ser acessada pelo site do Simpósio (clique aqui), onde as inscrições podem ser realizadas.

De acordo o membro da Comissão Organizadora, Tenente-Coronel Aviador Rafael Paes, a maior expectativa para esta edição do Simpósio é o potencial de abrangência e alcance de público. “O Simpósio tem por finalidade estimular a integração da quádrupla hélice (academia, governo, indústria e sociedade) na área de sensoriamento remoto por meio de discussões nos níveis: decisor, técnico-científico, operacional e de mercado/industrial”, disse. O Tenente-Coronel Rafael Paes destacou, ainda, que será uma oportunidade para profissionais da área conhecer as tendências tecnológicas baseadas em imagens para a Mobilidade Aérea Urbana e observar soluções inovadoras de startups do mercado brasileiro para a integração de sistemas inteligentes. “E, mais: o público poderá participar das discussões sobre como contribuir para o desenvolvimento de Inteligência Artificial sem a necessidade de saber programar uma linha de código sequer”, comentou o Oficial. 

Em 2019, o simpósio alcançou aproximadamente 200 mil pessoas nas redes sociais e foi acompanhado em mais de 20 cidades no Brasil e em países na América do Sul, Europa e Estados Unidos. Para o evento presencial, participaram mais de 500 inscritos, dos mais diversos segmentos da sociedade, assim como palestrantes brasileiros e estrangeiros, além do envolvimento de 15 empresas apoiadoras nacionais e internacionais.

CAVOK - Exercício Operacional Tínia reúne mais de 35 aeronaves e 400 militares no RS


Por Diego Alves | Publicada em 10/11/2020 06:00

Mais de 35 aeronaves e cerca de 400 militares do efetivo de Unidades da Força Aérea Brasileira (FAB), distribuídas por todo o País, estão envolvidos no EXOP Tínia, que acontece de 5 a 27 de novembro no Rio Grande do Sul.

O Comando de Preparo (COMPREP) está à frente da atividade, que segue a proposta de adequar os treinamentos nacionais ao perfil encontrado no cenário internacional.

Este treinamento é fundamental para garantir a continuidade da capacitação operacional dos militares da Instituição e a pronta-resposta para emprego em diversas missões que são executadas pela Força. A manutenção da qualificação e capacitação operacional garantem que os militares estejam preparados para atuar em missões diversas.

Para garantir a segurança dos participantes e da população local, foi elaborado um plano de biossegurança com base nos protocolos estabelecidos pelas autoridades de saúde para o enfrentamento à COVID-19.

Serão treinadas diversas ações como: Escolta, Reconhecimento Aéreo, Controle e Alarme em Voo, Ataque, Varredura, Reabastecimento em Voo, Posto de Comunicação no Ar, Defesa Aérea, Defesa Antiaérea e Transporte Aéreo Logístico. Os voos serão realizados em espaço aéreo reservado, localizado ao Sul do Estado, entre as duas cidades que sediam o Exercício.