NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 018/2021 - 18/01/2021

Publicado: 18/01/2021 - 08:25h
TV GLOBO - FANTÁSTICO

PORTAL UOL

PORTAL G1

AGÊNCIA BRASIL

PORTAL PODER AÉREO

PORTAL DIÁRIO DO PODER

PORTAL METROPÓLES (DF)

RÁDIO CBN

DEFESA AÉREA & NAVAL

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL

PORTAL AEROFLAP

PORTAL AEROIN

CNN BRASIL

OUTRAS MÍDIAS

TV GLOBO - FANTÁSTICO


Em meio ao colapso, Manaus registra gestos de solidariedade


Publicada em 17/01/2021 22:30

Fantástico mostrou as cenas dramáticas na capital do Amazonas durante a semana por causa da falta de oxigênio nos hospitais da cidade. O domingo (17) não foi diferente.

PORTAL UOL


Brasília recebe 15 pacientes do AM para tratamento de Covid-19


Bruna Chagas | Publicada em 17/01/2021 17:50

Na madrugada de hoje (17), mais 15 pacientes foram transferidos para Brasília, dando continuidade à força-tarefa para melhorar o atendimento na rede estadual de saúde. A capital do Brasil passou a integrar o time de cidades que está acolhendo os amazonenses vítimas do coronavírus.

Desde a última sexta-feira (15), a Força Aérea Brasileira (FAB) tem feito o transporte aéreo dos pacientes para outros estados.

Em Brasília, no Distrito Federal, os 15 pacientes farão o tratamento no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UNB). Foram realizadas transferências de pessoas que estavam internadas em Manaus, nos Serviços de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, São Raimundo e Hospital Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio.

As transferências são por conta do Plano de Cooperação entre os Estados, que foi anunciado pelo governador do Amazonas, Wilson Lima, em parceria com o Ministério da Saúde (MS).

A estratégia foi pensada com base na escassez de oxigênio no Estado para suprir a demanda gerada com o aumento de hospitalizações na rede pública de Saúde.

A medida adotada começou na sexta e tem trazido esperança para os familiares dos pacientes em tratamento, diante de um cenário qu entrou em colapso na crise do oxigênio em Manaus.

Um desses familiares é o empresário Yuri Farias Mendonça, 31 anos, que teve o pai Firmino Moraes de Mendonça, transferido na madrugada de hoje, e acredita que isso vai sim ajudar no tratamento. "Nós fomos muito bem orientados, explicaram para gente o translado, o hospital que a gente vai ficar, farão videochamadas no decorrer do dia para nós conseguirmos ter ciência do estado do nosso familiar. Então tenho certeza que ele terá todo o apoio", disse.

Segurança no transporte

De acordo com a especialista em Urgência e Emergência da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Neylane Macedo, o processo de segurança adotado para a viagem dos pacientes se dá dentro de um protocolo de segurança.

"Nós trabalhamos primeiro com a classificação desses pacientes pelo complexo regulador, dentro de uma estabilidade clínica, onde esse paciente é classificado pelo médico da unidade e atendido pelo médico regulador da unidade de destino. É um transporte realizado para que o paciente mantenha uma estabilidade desde o embarque até a recepção no hospital de origem", explicou.

PORTAL G1


Quinze pacientes com Covid- são transferidos de Manaus para João Pessoa neste domingo

Desde a sexta-feira (15), 62 pessoas já foram encaminhadas para Teresina, São Luís e Brasília. Governo do Amazonas espera transferir até 235 nos próximos dias.

Matheus Castro | Publicada em 17/01/2021 18:46

Mais 15 pacientes com Covid-19, que estavam internados em hospitais de Manaus, foram transferidos para João Pessoa (PB) na tarde deste domingo (17). A Paraíba é o terceiro estado, além do Distrito Federal, a receber os doentes após a falta de oxigênio nos principais hospitais da capital amazonense.

Com o embarque deste domingo, o número total de pessoas transferidas para outros estados chega a 62. Foram enviados 9 pacientes a Teresina, 23 pacientes a São Luís e 15 para Brasília. A previsão do governo é enviar 235 pessoas.

De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), o avião que tem capacidade para 45 passageiros, foi readaptado para receber os 15 pacientes, incluindo todo um suporte de oxigênio. Sete técnicos da área da saúde devem acompanhar o grupo.

Para chegar à capital paraibana, o voo deve passar antes em São Luís, no Maranhão, para abastecer. A previsão é que toda a viagem dure, em média, 5h.

Os pacientes chegaram em 13 ambulâncias, escoltadas pela polícia militar. Ao entrarem no Aeroporto Ponta Pelada, eles passaram por uma triagem para saber se estavam estabilizados para seguir viagem.

Mais tarde, ainda neste domingo, outros pacientes seguem para Natal, no Rio Grande do Norte. Inicialmente, mais 15 pacientes embarcam para a capital capixaba, porém tudo dependerá do estado dos pacientes durante a triagem, realizada momentos antes do embarque.

Crise de Oxigênio

O governo do Amazonas publicou no diário oficial do estado, a prorrogação do decreto que suspende as atividades econômicas não-essenciais até o dia 31 de janeiro. O total de mortes no estado é de 6.123. O número de infectados desde o começo da pandemia é de 229.367.

O estado enfrenta colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio em hospitais de Manaus, que estão lotados por conta do aumento recorde de internações por Covid. Com o caos na Saúde, pacientes começaram a ser levados a outros estados.

AGÊNCIA BRASIL


Hoje é Dia: Jorge Mautner, FAB e escritores são destaques da semana

Confira os fatos e datas da semana entre 17 e 23 de janeiro

Edgard Matsuki | Publicada em 17/01/2021 08:00

A semana entre os dias 17 e 23 de janeiro de 2020 é marcada pelo aniversário de nascimento de músicos e escritores consagrados, criação de instituições brasileiras e até pelo “aparecimento” de uma estranha criatura no Brasil.

Confira a lista de datas aqui

Confira todas as efemérides de janeiro de 2021 aqui

No dia 20, a Força Aérea Brasileira (FAB) completa 80 anos. Criada em meio à 2ª Guerra Mundial, a FAB é, hoje, responsável pela defesa do espaço aéreo brasileiro. Em 2019, a TV Brasil, da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), “embarcou” em uma aeronave da Esquadrilha da Fumaça para mostrar como é voar em um caça. Confira no vídeo abaixo, exibido durante comemorações do 7 de setembro:

 

Brasília recebe 15 pacientes com covid-19 procedentes de Manaus

Na quinta-feira (14), cidade havia recebido seis vítimas da doença

Wellton Máximo | Publicada em 17/01/2021 12:26

O Hospital Universitário de Brasília (HUB) recebeu hoje (17) de madrugada 15 pacientes com covid-19 transferidos de Manaus. Eles chegaram em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) por volta das 3h e foram transportados da Base Aérea da capital federal para o HUB, com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, foram usadas cinco ambulâncias, quatro com suporte básico e uma com suporte avançado. A corporação informou que todos os pacientes estão conscientes e têm o quadro estável.

Ao chegarem ao HUB, os pacientes foram transferidos para a Unidade de Pronto-Socorro, que tem leitos exclusivos para pacientes com covid-19, com suporte de oxigênio. Caso algum paciente tenha de ir para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), poderá ser transferido para a rede pública do Distrito Federal.

Esse foi o segundo grupo de pacientes enviados de Manaus para a capital federal. Na quinta-feira (14), seis foram transferidos para Brasília. Cinco estão no hospital particular Santa Lúcia, com o tratamento custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e um militar da Força Aérea que estava no Hospital da Aeronáutica de Manaus está internado no Hospital das Forças Armadas (HFA).

Por causa do colapso do sistema de saúde na capital amazonense, pacientes com covid-19 estão sendo transferidos para outros estados. Além do Distrito Federal, os hospitais universitários da Universidade Federal do Piauí e da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA) receberam pacientes do Amazonas.

Administrada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, a rede de hospitais universitários federais ofereceu 205 leitos, em diversos estados, para receber os pacientes do Amazonas. As transferências continuarão a ser feitas nos próximos dias.

Edição: Graça Adjuto

PORTAL PODER AÉREO


Em 9 dias, FAB transporta 110 toneladas de carga para Manaus (AM)


Publicada em 17/01/2021 18:30

Aviões C-130 Hércules promoveram o transporte de tanques de oxigênio líquido na madrugada deste sábado (16). Outra aeronave KC-390 também foi empregada nesta data para transporte de insumos

Em continuidade ao emprego de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) na Operação COVID-19, intensificada na capital amazonense, dois aviões C-130 Hércules realizaram missões na madrugada deste sábado (16). Operados pelo Esquadrão Gordo (1º/1º GT), os aviões decolaram da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), com destino a Manaus (AM). Com estas missões, a FAB atinge a marca de 114 horas voadas e cerca de 110 toneladas transportadas em nove dias de intensa atividade no Amazonas.

A primeira aeronave, FAB 2467, decolou, nesta sexta-feira (15), às 22h31, de Guarulhos (SP), e pousou às 03h58, em Manaus (AM). A segunda aeronave, FAB 2477, decolou às 3h30 e pousou às 09h23, de acordo com o horário de Brasília. No total, as duas aeronaves transportaram 13 tanques de oxigênio líquido.

Também neste sábado (16), um KC-390 Millennium, operado pelo Esquadrão Zeus (1°/1° GT), realizou o transporte de material hospitalar, camas, tendas e gerador, totalizando 4.330 quilos de carga. A aeronava decolou de Recife (PE), às 8h48 (horário de Brasília) com destino a Manaus (AM). O Sargento Ricardo Duarte da Cunha, Loadmaster do KC-390, profissional responsável pela carga da aeronave, explica que o material transportado dará apoio a população amazonense. “É muito gratificante ver a nossa aeronave ser empregada em uma missão que busca levar alento à sociedade, que neste momento passa por uma situação crítica”, disse.

Piloto de uma das aeronaves C-130 Hércules que realizaram o transporte, o Capitão Aviador Cayo Cesar Magalhães destaca o orgulho em participar das missões. “É muito gratificante participar de uma ação como esta, tanto como militar como cidadão brasileiro. Eu sei que, de alguma forma, estou sendo útil para a nação brasileira e ajudando a salvar vidas”, disse.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e 7 dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19. Desta forma, as aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

Transporte de cerca de 110 toneladas

Nos dias 8 e 10 de janeiro, a FAB transportou mais de 24 toneladas de tanques de oxigênio para Manaus (AM), por meio do C-130 Hércules. No dia 13, a aeronave KC-390 Millennium transportou mais de oito toneladas de equipamentos para Manaus; e no dia 14, duas aeronaves C-130 Hércules transportaram mais de 18 toneladas de tanques de oxigênio líquido, sendo que cada aeronave transportou seis. Nesta sexta-feira (15), também ocorreu transporte de insumo e de oxigênio, realizado pelos aviões KC-390 Millennium e C-130 Hércules, para Manaus (AM), com mais 19,5 toneladas de carga.

Até o momento, a FAB já transportou aproximadamente 110 toneladas, entre insumos hospitalares, materiais para instalação de Hospital de Campanha e tanques de oxigênio líquido. Já foram levados 36 tanques de oxigênio líquido, o que significa cerca de 3.700 cilindros de oxigênio de 7m3. Todos os equipamentos, insumos e materiais se destinam a hospitais para o combate ao novo Coronavírus em Manaus.

Transporte de pacientes

No dia 15 de janeiro, a FAB iniciou o transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do País. Duas aeronaves C-99 do Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (1º/2º GT) – Esquadrão Condor, foram acionadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e cumprem as missões que têm como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense. No dia 15, foram transferidos nove pacientes para Teresina (PI) e 12 para São Luís (MA). Neste sábado ocorreu novo voo de Manaus para São Luís, com 11 pacientes e seis profissionais de saúde. A aeronave decolou às 13h18 e pousou às 15h50 (horário de Brasília).

FONTE: Força Aérea Brasileira

Aeronaves da FAB realizam transporte de insumo e oxigênio para Manaus (AM)


Publicada em 17/01/2021 19:05

Nesta sexta-feira (15), duas aeronaves KC-390 Millennium, operadas pelo Esquadrão Zeus (1° GTT), realizaram missões de apoio à Operação COVID-19. A primeira decolou de Recife (PE) para Manaus (AM), transportando 8,5 toneladas de material hospitalar, camas, tendas, geradores e barracas. A segunda decolou da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), com 11 toneladas de insumos hospitalares e um gerador. Após o carregamento, seguiu para Manaus (AM), onde pousou durante a tarde de hoje.

Ainda na noite desta sexta-feira sexta (15), o KC-390 segue de Manaus para Guarulhos (SP), onde realizará o carregamento de mais tanques de oxigênio líquido.

Também nesta sexta-feira, uma aeronave C-130 Hércules, operada pelo Esquadrão Gordo (1º/1º GT), decolou da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), também com destino a Manaus, com seis tanques de oxigênio líquido.

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, estando à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

O Comandante da aeronave KC-390 Millennium, Capitão Aviador Douglas Leonardo Marciano, falou do objetivo da missão. “Estamos transportando insumos diversos que darão suporte na estrutura do Hospital de Campanha em Manaus e atenderá a pacientes com a COVID-19”, disse.

Também tripulante do avião KC-390, o Sargento Luiz Cláudio Lima Correa é mecânico da aeronave e destacou o envolvimento de tantos militares na missão. “A Força Aérea foi requisitada para dar apoio à sociedade e nós estamos aqui cumprindo a missão. Seria injusto dizer que apenas os militares presentes hoje estão envolvidos nesta tarefa, pois todo o Esquadrão está disponível, como as equipes de manutenção, administração e logística. Estamos sempre prontos para servir”, disse.

O Capitão Aviador Arthur Souza Rodrigues da Costa, Comandante da Aeronave C-130 Hércules, falou da missão. “Nós da Força Aérea, tripulantes, equipes de solo e manutenção, estamos trabalhando 24 horas por dia, oferecendo o nosso máximo para aliviar a crise que vivemos hoje. Voamos e trabalhamos na certeza que cada minuto do nosso esforço significará a redução do sofrimento de alguém”, disse.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e 7 dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19.

A FAB tem atuado na Operação COVID-19, realizando missões de transporte em todo o território nacional, as quais foram intensificadas recentemente para a cidade de Manaus. O transporte aéreo exige uma logística complexa e que, durante o período de pandemia, envolve o trabalho coordenado de diversos órgãos.

Nos dias 8 e 10 de janeiro, a FAB transportou mais de 24 toneladas de cilindros de oxigênio para Manaus (AM), por meio do C-130 Hércules. No dia 13, a aeronave KC-390 Millennium transportou mais de oito toneladas de equipamentos para Manaus; e no dia 14, duas aereonaves C-130 Hércules transportaram mais de 18 toneladas de cilindros de oxigênio líquido, sendo que cada aeronave transportou seis tanques.

A soma das missões de transporte de tanques de oxigênio, nos dias 14 e 15 de janeiro, totaliza 18 tanques, o que significa, aproximadamente, 1.400 cilindros de oxigênio (7m3). Todos os equipamentos e insumos se destinam a hospitais para o combate ao novo Coronavírus em Manaus.

Operação COVID-19

Proteger os cidadãos é uma das funções precípuas das Forças Armadas. Nesse intuito, o Ministério da Defesa, a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira enfrentam, juntos, a pandemia de COVID-19 no País. A Operação ocorre em um espaço territorial de grandes proporções, nas 27 unidades federativas, com características e necessidades diferentes e com uma população de cerca de 210 milhões de pessoas.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, higienização de lugares públicos, dentre outras. Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em dez Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças, que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Acompanhe a página especial sobre a atuação da FAB na Operação COVID-19.

Confira mais fotos da Operação COVID-19 no Flickr oficial da FAB.

FONTE: Força Aérea Brasileira

Informações sobre o cancelamento da licitação do Boeing 767-300ER (2020)


Publicada em 17/01/2021 19:48

Considerando informações divulgadas recentemente por alguns veículos de imprensa sobre possível prejuízo nas ações da Força Aérea Brasileira motivadas pelo cancelamento da compra da aeronave Boeing 767 300ER, o Comando da Aeronáutica esclarece que:

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

As informações relacionadas ao cancelamento da licitação relativa ao Boeing 767 300ER foram publicadas no Termo de Revogação, disponível para acesso aqui. Na ocasião, o Comando da Aeronáutica relatou uma série de motivações para a revogação e ressaltou que o processo seria uma solução temporária para uma demanda operacional, não sendo a decisão final para o Projeto CX-2, que trata da aquisição de um cargueiro de grande porte para complementar a frota de aeronaves de transporte já em operação pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Considerada uma questão estratégica, as necessidades para a aquisição de uma grande aeronave de carga ainda persistem, com o objetivo de ampliar a capacidade e a autonomia de transporte intercontinental de pessoal e material, de acordo com os interesses da nação brasileira.

A suspensão da licitação, portanto, não significou o cancelamento do projeto e se deu, como explicado na época da revogação, pela impossibilidade da aquisição da aeronave a curto prazo e pelo impacto da pandemia da COVID-19 no mercado aeronáutico, que teve uma mudança considerável em relação ao cenário encontrado quando da publicação do convite para participação no processo licitatório. Nesta perspectiva, vislumbrou-se a oportunidade de aquisição de outras aeronaves mais adequadas às necessidades do que o 767 que era objeto do certame.

Além disso, as projeções econômicas para o ano de 2021 em consequência da pandemia e a necessidade de serem adotadas medidas para reduzir os impactos nos projetos estratégicos em andamento, dada à importância para aumentar as capacidades da Força, também contribuíram para a decisão.

Diante deste novo cenário, e de acordo com a legislação vigente, o Comando da Aeronáutica decidiu por cancelar o certame licitatório, sempre observando os princípios da legalidade, conveniência e oportunidade. Deve ser ressaltado, ainda, que este cancelamento foi resultado de uma análise técnica do Comando da Aeronáutica, não envolvendo outras esferas do governo federal.

Outrossim, ressalta-se que a FAB está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves, 24 horas por dia e 7 dias por semana, em atendimento às necessidades de enfrentamento à pandemia da COVID-19.

FONTE: Força Aérea Brasileira

KC-390 Millennium realiza primeiro transporte de tanques de oxigênio para Manaus

O carregamento da aeronave ocorreu na Base Aérea de São Paulo (BASP), durante a tarde deste sábado (16)

Publicada em 17/01/2021 20:05

O FAB 2853, operado pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) – Esquadrão Zeus decolou às 17h05 (horário de Brasília) deste sábado (16), da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), com cinco tanques de oxigênio líquido, o que corresponde a 5.550 quilos de carga. O pouso, na Ala 8 – Manaus (AM), ocorreu às 20h40. A missão ocorre em apoio à Operação COVID-19.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19. Para esta missão, o KC-390 Millennium conta com uma válvula de segurança equipada, a qual permite o transporte dos tanques de oxigênio. O material será utilizado para abastecer os hospitais de Manaus (AM), que sofrem com a falta do insumo para tratar pacientes com COVID-19.

Por questões de segurança, um técnico da empresa que disponibilizou os tanques de oxigênio líquido foi a bordo da aeronave, para conferência da carga durante todo o trajeto, que teve duração de pouco mais de três horas de voo.

O Comandante do KC-390 Millennium, Tenente-Coronel Aviador Luiz Fernando Rezende Ferraz, explicou a capacidade do vetor, para o transporte da carga. “A aeronave já vem com uma válvula de alívio para fazer o transporte desse oxigênio durante o voo. O que foi necessário ser feito, é que cada tanque tem um tipo de conexão, então a empresa fez uma conexão e adaptação desse tanque para nossa aeronave”, salienta.

O Loadmaster (mestre de carga) da aeronave, Sargento Ian Mayer, comentou sobre a missão. “O sentimento como militar e brasileiro é o melhor possível. Sabemos que, quando somos acionados para esse tipo de operação, vidas estão em perigo e os militares não vão medir esforços para cumprir”, destaca.

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, estando à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19. O transporte aéreo exige uma logística complexa e que, durante o período de pandemia, envolve o trabalho coordenado de diversos órgãos.

FONTE: Força Aérea Brasileira

PORTAL DIÁRIO DO PODER


Em 314 horas de voo, FAB transportou para Manaus 168 toneladas de materiais contra covid

Foram 1.510 cilindros de oxigênio, 40 respiradores, materiais para montar hospital de campanha etc

Cláudio Humberto | Publicada em 18/01/2021 00:04

Passados dez dias que o Governador Wilson Miranda Lima solicitou apoio ao Ministério da Defesa, as Forças Armadas tem realizado transporte incessante de materiais de vombate à covid-19.

Desde o dia 8 deste mês, foram transportadas 168 toneladas de carga para Manaus, realizadas 314 horas de voo, entregues 36 tanques de oxigênio líquido, 1.510 cilindros de oxigênio gasoso, 40 respiradores e 12 usinas de oxigênio.

Neste fim de semana, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica trabalharam sem parar executando as ações de transporte de pacientes e de oxigênio, montagem de Hospital de Campanha e entrega de respiradores.

Na noite deste domingo à noite (17), 15 pacientes do Amazonas foram transferidas para João Pessoa (PB) e 12 para Natal (RN). Na madrugada de sábado para domingo, 15 pacientes desembarcarem em Brasília. No sábado à noite, 11 pacientes chegaram a São Luís (MA). Os transportes foram realizados por aviões C-99 da Força Aérea Brasileira (FAB).

Voos da FAB levarão vacinas ao DF e AC, AP, AM, CE, GO, MS, PI, RO, RR e SC

Transporte de 44 toneladas de vacinas será em aeronaves da FAB a partir de Guarulhos

Redação | Publicada em 17/01/2021 19:22

Ministério da Saúde inicia nesta segunda-feira (18), já às 7h, a distribuição da vacina contra a Covid-19 para todos os estados. O ministro Eduardo Pazuello confirmou neste domingo (17) a distribuição da vacina contra a Covid-19, junto com os governadores dos estados.

Os voos em aviões da Força Aérea Brasileira partirão de São Paulo e transportarão cerca de 44 toneladas no total, inicialmente para o Distrito Federal e para as capitais de dez estados: Acre, Amapá, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso do Sul, Piauí, Rondônia, Roraima e Santa Catarina. Os demais estados também receberão vacinas, mas por outros meios, especialmente voos de empresas de aviação civil.

O evento será realizado no Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos, São Paulo. A distribuição será iniciada menos de 24 depois que a agência reguladora Anvisa aprovou o uso emergencial das vacinas Coronavac e Oxford/Astrazeneca, solicitado pelo Butantan e a Fiocruz, respectivamente.

O Ministério da Defesa confirmou que os voos partirão de São Paulo e transportarão cerca de 44 toneladas no total, em aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules e C-105 Amazonas. Uma aeronave C-97 Brasília também será utilizada a partir da cidade de Manaus (AM) para Tabatinga (AM).

 

PORTAL METROPÓLES (DF)


Manaus recebe em média quatro voos diários trazendo oxigênio

Cada aeronave tem capacidade para transportar até cinco mil metros cúbicos do insumo

Portal Manaus Alerta | Publicada em 17/01/2021 18:29

O Governo do Amazonas está recebendo, em média, quatro voos diários da Força Aérea Brasileira (FAB) com oxigênio líquido para abastecer as unidades de saúde do Estado. Cada aeronave tem capacidade para transportar até cinco mil metros cúbicos do insumo, e o envio do material faz parte da ação integrada entre Governo do Estado, FAB e Ministério da Saúde, para reforçar o abastecimento da rede de hospitais.

Os insumos estão sendo transportados pelas aeronaves KC 390 e C 130, com grande capacidade para transportar cargas e pessoal. O secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, ressalta que, desde que foi identificada a dificuldade logística para trazer oxigênio para Manaus, o Governo do Amazonas solicitou apoio do Governo Federal que disponibilizou aviões das Forças Armadas.

“Vale ressaltar que o oxigênio líquido só pode ser transportado em aviões não pressurizados pelo risco da explosão, então, somente aviões militares conseguem esse transporte. Nós temos alguns transportes com aviões de linhas comerciais, mas só de oxigênio na forma gasosa em cilindros e é um transporte limitado”, disse o secretário.

Leia a notícia completa no portal Manaus Alerta.

Avião decola de Brasília para Manaus com 10 tanques de oxigênio líquido

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) faz o transporte de tanques de oxigênio líquido e um gerador de oxigênio gasoso para Amazonas

Isadora Teixeira | Publicada em 17/01/2021 20:32

Dez tanques de oxigênio líquido e um gerador de oxigênio gasoso foram enviados de Brasília para Manaus neste domingo (17/1).

Uma aeronave C-130 Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), faz o transporte. O avião decolou da capital federal às 18h55, e a previsão é de que faça o pouso na capital amazonense às 21h55.

O objetivo da operação é minimizar os impactos do caos no sistema de saúde de Manaus. Com alta dos casos da Covid-19 e nas internações de pacientes acometidos pela doença, há escassez de oxigênio na cidade, o que causou a morte de pessoas.

O governo do Amazonas está recebendo, em média, quatro voos diários da FAB com oxigênio líquido para abastecer as unidades de saúde do estado.

Cada aeronave tem capacidade para transportar até cinco mil metros cúbicos do insumo, e o envio do material faz parte da ação integrada entre governo do estado, FAB e Ministério da Saúde, para reforçar o abastecimento da rede de hospitais.

 

RÁDIO CBN


FAB envia duas usinas de oxigênio para Manaus


Publicada em 16/01/2021 16:27

Equipamentos possuem tecnologia para processar o ar atmosférico e realizar a liberação de oxigênio a nível medicinal. Aeronave da Força Aérea Brasileira decolou de Guarulhos (SP) no início da tarde.

DEFESA AÉREA & NAVAL


Nota de Esclarecimento da FAB sobre o cancelamento da licitação do Boeing 767 300ER (2020)


Guilherme Wiltgen | Publicada em 17/01/2021 11:46

Considerando informações divulgadas recentemente por alguns veículos de imprensa sobre possível prejuízo nas ações da Força Aérea Brasileira (FAB) motivadas pelo cancelamento da compra da aeronave Boeing 767 300ER, o Comando da Aeronáutica esclarece que:

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

As informações relacionadas ao cancelamento da licitação relativa ao Boeing 767 300ER foram publicadas no Termo de Revogação, disponível para acesso aqui. Na ocasião, o Comando da Aeronáutica relatou uma série de motivações para a revogação e ressaltou que o processo seria uma solução temporária para uma demanda operacional, não sendo a decisão final para o Projeto CX-2, que trata da aquisição de um cargueiro de grande porte para complementar a frota de aeronaves de transporte já em operação pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Considerada uma questão estratégica, as necessidades para a aquisição de uma grande aeronave de carga ainda persistem, com o objetivo de ampliar a capacidade e a autonomia de transporte intercontinental de pessoal e material, de acordo com os interesses da nação brasileira.

A suspensão da licitação, portanto, não significou o cancelamento do projeto e se deu, como explicado na época da revogação, pela impossibilidade da aquisição da aeronave a curto prazo e pelo impacto da pandemia da COVID-19 no mercado aeronáutico, que teve uma mudança considerável em relação ao cenário encontrado quando da publicação do convite para participação no processo licitatório. Nesta perspectiva, vislumbrou-se a oportunidade de aquisição de outras aeronaves mais adequadas às necessidades do que o 767 que era objeto do certame.

Além disso, as projeções econômicas para o ano de 2021 em consequência da pandemia e a necessidade de serem adotadas medidas para reduzir os impactos nos projetos estratégicos em andamento, dada à importância para aumentar as capacidades da Força, também contribuíram para a decisão.

Diante deste novo cenário, e de acordo com a legislação vigente, o Comando da Aeronáutica decidiu por cancelar o certame licitatório, sempre observando os princípios da legalidade, conveniência e oportunidade. Deve ser ressaltado, ainda, que este cancelamento foi resultado de uma análise técnica do Comando da Aeronáutica, não envolvendo outras esferas do governo federal.

Outrossim, ressalta-se que a FAB está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves, 24 horas por dia e 7 dias por semana, em atendimento às necessidades de enfrentamento à pandemia da COVID-19.

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL


Governo promove série de ações para ajudar a população do Amazonas

Ministério da Saúde enviou, por avião, mais 80 cilindros com oxigênio hospitalar para Manaus nesse sábado (16)

Publicada em 17/01/2021 11:37

O Ministério da Saúde enviou, por avião, mais 80 cilindros com oxigênio hospitalar para Manaus (AM) nesse sábado (16). A carga ajudará a abastecer e reforçar com o gás as unidades de saúde da região amazonense. O transporte foi feito com a mesma aeronave que buscará, em breve, 2 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 em Mumbai, na Índia.

O aparelho A330neo, da companhia Azul, que estava no pátio do aeroporto de Recife (PE), seguiu às 23h de sexta-feira (15) para o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), para ser carregado com o material.

Ainda na sexta-feira (15), o Ministério da Saúde conseguiu cilindros de oxigênio para manter 61 bebês prematuros por mais 48h em leitos de UTI em Manaus (AM). A pasta já articulou com estados e municípios a disponibilidade inicial de 56 leitos de UTI que poderão receber os recém-nascidos, caso seja necessário: 25 em Curitiba (PR), 11 em Vitória (ES), nove em Imperatriz (MA), quatro em Salvador (BA), três em Feira de Santana (BA), um em Ariquemes (RO) e três no município de Macapá (AM).

Já os pacientes com Covid-19 internados em leitos clínicos em Manaus começaram a ser transferidos - também na sexta-feira (15) - para oito capitais brasileiras numa ação coordenada pelo Ministério da Saúde que visa a desafogar a rede assistencial pública e privada do Amazonas. A articulação envolve os governos estaduais e também do Distrito Federal.

As transferências ocorreram por avião e já estão garantidos - de imediato - 149 leitos: 40 em São Luís (MA); 30 em Teresina (PI); 15 em João Pessoa (PB); 10 em Natal (RN); 20 em Goiânia (GO); quatro em Fortaleza (CE); 10 em Recife (PE) e 20 no Distrito Federal.

Outras ações emergenciais

Até o momento, foram recrutados 198 médicos, 562 enfermeiros, 1.212 técnicos de enfermagem, 313 fisioterapeutas e 263 farmacêuticos que poderão fortalecer o atendimento nos serviços da rede pública de Manaus. No total, a pasta contatou 30.196 profissionais para atender à iniciativa.

Além da convocação de profissionais, o Ministério da Saúde está levando equipamentos, insumos e medicamentos para fortalecer a assistência no Amazonas frente ao cenário epidemiológico do estado.

Já foram enviados 700 cilindros de oxigênio, 78 ventiladores pulmonares, 40,5 mil unidades de medicamentos para intubação, 125 mil máscaras N95, 247 mil máscaras cirúrgicas, 200 mil luvas, 180 monitores, 373 bombas de infusão, 6.900 equipos e 78 ventiladores pulmonares (40 exclusivos para o interior do estado).

De acordo com o coordenador do Centro de Operações de Emergência de Covid (COE-Covid19), coronel Nivaldo Alves de Moura Filho, “a distribuição do material prioriza as unidades hospitalares com maior número de pacientes a serem atendidos”.

Enfermaria de campanha

O Governo Federal enviou estrutura e materiais para construir a enfermaria de campanha na área externa do Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, em Manaus (AM). A unidade é referência da rede estadual de saúde para tratamento de Covid-19. A entrega foi feita por um Hércules KC-390 na capital amazonense no início da tarde desse sábado (16).

A enfermaria de campanha contará, inicialmente, com 60 leitos - como já havia anunciado o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante pronunciamento à imprensa na última quarta-feira (13) na capital amazonense.

A nova estrutura aumentará a capacidade de atendimento para enfrentamento ao crescimento do número casos de pessoas contaminadas pelo Covid-19 no Amazonas.

A ação é resultado da parceria entre o Governo Federal, governo do Amazonas e Forças Armadas.

Assistência farmacêutica

Diante do cenário epidemiológico da Covid-19 no Amazonas, o Ministério da Saúde decidiu ampliar a assistência farmacêutica para tratamento dos pacientes no local. A pasta já enviou ao estado 1,5 milhão de unidades de medicamentos para apoio no tratamento da doença, incluindo 250 mil comprimidos de oseltamivir e 40,5 mil ampolas de medicamento para intubação orotraqueal (IOT), usados nos casos mais graves da doença.

Para tratamento de outras condições clínicas, também houve distribuição dos medicamentos enoxaparina sódica 40mg/0,4mL e imunoglobulina humana 5mg.

Financiamento

Como parte do apoio emergencial, o Ministério da Saúde antecipou também financiamento de R$ 2,5 milhões ao Amazonas para reforço da assistência farmacêutica. Foram R$ 2 milhões para o Componente Básico da Assistência Farmacêutica – dos quais R$ 1 milhão para o município de Manaus – e R$ 502 mil do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica estadual.

Ainda no âmbito das ações de reforço ao sistema de saúde do Amazonas, o ministério encaminhou comunicado às farmácias credenciadas no Programa Farmácia Popular para que permaneçam atentas aos estoques e à demanda da população usuária do programa. Caso haja necessidade de reabastecimento, as farmácias devem avisar ao ministério para a devida reposição.

Em contato com a Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, ainda, a pasta solicitou uma lista dos medicamentos para outras condições clínicas que não a Covid-19 e que necessitam de reposição, para que eles sejam providenciados e tenham os envios antecipados ao estado.

Força Nacional do SUS

A Força Nacional do SUS (FN-SUS) atua em Manaus para apoiar os esforços do Ministério da Saúde no enfrentamento à Covid-19. A equipe fez o diagnóstico in loco e identificou os principais pontos de fragilidade da rede de saúde do estado e, especialmente, em Manaus, cidade que centraliza todas as internações clínicas, UTI de especialidades médicas, oncologia e demais serviços na região.

“A FN-SUS existe para momentos como este, quando precisamos concentrar esforços e aplicar todas as ferramentas de gestão hospitalar à disposição do Ministério da Saúde para obter resultados rápidos, necessários e fundamentais para a população do Amazonas”, explicou a diretora do Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Emergência (DAHU/SAES), Adriana Teixeira.

A principal metodologia aplicada pelo Ministério da Saúde é o Lean nas Emergências. Os especialistas implementaram gabinetes de crise em 17 serviços de saúde, entre eles hospitais, Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) 24h e unidades de pronto-atendimento, além de reorganização de demandas, gestão no giro de leitos e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), por exemplo. Cada gabinete recebe dados em tempo real para a tomada de decisão, assim como atua na integração das equipes estaduais e municipais, criando fluxos de regulação e estabelecendo critérios de triagem dos pacientes ao longo da permanência na rede de saúde.

Além disso, o esforço tripartite no Amazonas culminou na criação de um Centro de Operações de Emergência (COE) estadual, um grupo crítico para o gerenciamento dos recursos já destinados pelo Ministério da Saúde – e a recente missão liderada, pessoalmente, pelo ministro Eduardo Pazuello – ao Amazonas dentro do Plano de Contingência e Ação.

A iniciativa é uma parceria do Ministério da Saúde com o Hospital Sírio Libanês e faz parte do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (PROADI-SUS).

Governo zera imposto de importação

O imposto de importação de mais de 250 itens médicos, hospitalares e EPI, necessários ao combate à Covid-19, como luvas, aventais e máscaras, foi zerado nesse sábado (16), temporariamente, por aprovação do Comitê Executivo de Gestão da Secretaria-Executiva da Câmara de Comércio Exterior (Gecex).

A decisão, que vigora até 30 de junho de 2021, faz parte dos esforços governamentais para o enfrentamento da doença, abarca outros insumos fundamentais ao dia a dia dos profissionais encarregados de tratar vítimas da doença, como monitores de sinais vitais, sensores de oxigênio e cilindros para armazenamento de gases medicinais.

Com informações do Ministério da Saúde

MINISTÉRIO DA SAÚDE - Ministério da Saúde começa processo para distribuir vacina contra Covid-19 pelo país

Estados receberão a partir desta segunda-feira (18) seis milhões de doses do imunizante; vacinação começa quarta, dia 20, às 10h

Luara Nunes E Marina Pagno | Publicada em 17/01/2021 19:33

Ministério da Saúde começou neste domingo (17) o processo que levará aos estados e Distrito Federal seis milhões de doses da vacina do Instituto Butantan contra a Covid-19. As doSes estão no Departamento de Logística em Saúde (DLOG), em São Paulo.

“Nesta segunda-feira, às 7h, a distribuição das vacinas irá para todos os estados brasileiros, para que cada governo possa dar início ao plano de vacinação. O DLOG vai fracionar, agora, as quantidades corretas para cada estado. A Força Aérea Brasileira vai fazer a entrega nos pontos focais. A partir daí, os estados fazem a distribuição local”, explicou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em coletiva de imprensa na tarde deste domingo (17), no Rio de Janeiro.

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO (DLOG)

A logística de distribuição das vacinas será realizada por aviões e caminhões, compondo estes últimos uma frota de 100 veículos com áreas de carga refrigeradas, que até o final de janeiro aumentarão em mais 50. Toda frota possui sistema de rastreamento e bloqueio via satélite.

O Ministério da Saúde terá o apoio da Associação Brasileira de Empresas Aéreas por meio das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass, para transporte gratuito da vacina Covid-19 às unidades federadas do país que necessitam do transporte aéreo para a chegada das doses. Vale reforçar que o Governo Federal transportará as vacinas aos estados, que farão a distribuição aos municípios junto com o Ministério da Defesa.


Veja abaixo a quantidade que será distribuída a cada estado - considerando as 6 milhões de doses fornecidas pelo Instituo Butantan.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PORTAL AEROFLAP


FAB transporta 15 pacientes de Manaus para Brasília


Pedro Viana | Publicada em 17/01/2021 14:29

Uma aeronave C-99 da Força Aérea Brasileira (FAB) transportando 15 pacientes, acompanhados de profissionais de saúde, decolou de Manaus (AM) às 23h25 (horário local) deste sábado (16) para Brasília (DF) e chegou ao destino às 03h10 (horário local) do domingo (17).

Além disso, duas aeronaves C-105 Amazonas da FAB decolaram durante a madrugada deste domingo (17) de Belém (PA) e tiveram como destino Manaus.

O primeiro C-105 chegou às 02h40 conduzindo 50 cilindros de oxigênio gasoso, em um total de 3.000kg de carga. Já o segundo C-105 pousou às 03h00 com 65 cilindros também carregados com oxigênio gasoso, somando mais 3.900 kg de carga transportada.

Na última semana, a FAB intensificou sua atuação com o objetivo de minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense.

FAB atinge 200 horas voadas no Transporte Aéreo Logístico em apoio a Manaus


Publicada em 17/01/2021 22:00

A Força Aérea Brasileira (FAB) está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves, 24 horas por dia e sete dias por semana, em atendimento às necessidades de enfrentamento à pandemia da COVID-19.

As últimas ações da FAB envolveram transporte de pacientes, oxigênio e insumos e, desde sábado, 16 de janeiro, a FAB iniciou o empregou da aeronave C-105 Amazonas.

Até o momento, a Força Aérea já realizou 220 horas de voo e transportou mais de 180 toneladas de carga para Manaus (AM).

Confira as últimas missões:

Neste domingo (17), um C-105 Amazonas, operado pelo Esquadrão Onça (1°/15º GAV), decolou, de Belém (PA) para Manaus (AM), com 80 cilindros de oxigênio, totalizando cerca de 4,5 toneladas de carga. 

Outra aeronave, também operada pelo Esquadrão Onça, realizou, nesse sábado (16), o transporte, de Belém para a capital manauara, de 65 cilindros de oxigênio, uma carga equivalente a 3,9 toneladas. No mesmo dia, um C-105 Amazonas, operado pelo Esquadrão Arara (1°/9° GAV), realizou o transporte de Belém (PA) para Manaus (AM) de 50 cilindros de oxigênio, a carga equivalente a três toneladas.

Engajado na missão de levar apoio a Manaus, o Capitão Aviador Vitor Graeff Pilotto, Comandante da aeronave FAB 2806 C-105 Amazonas, ressaltou a importância desta pronta-resposta.

“Eu fico emocionado e orgulhoso por cumprir este papel da nação e em apoiar o suporte à vida neste momento de pandemia”, destacou.

Também neste sábado (16), a FAB transportou uma usina geradora de oxigênio, que é um equipamento alimentado com energia elétrica e possui tecnologia para processar o ar atmosférico e realizar a liberação de oxigênio a nível medicinal.

A aeronave C-130 Hércules, operada pelo Esquadrão Gordo (1°/1° GT), decolou da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), às 12h53 deste sábado (16), e pousou em Parintins (AM), às 20h30, de acordo com horário de Brasília, com a carga, que equivale a mais de 5,4 toneladas. 

Piloto da aeronave C-130 Hércules, o Capitão Aviador Rodolfo Gonçalves da Silva, destacou a importância do esforço coletivo neste momento.

“É muita satisfação poder ajudar quem está precisando neste momento de dificuldade, transportando este material. É gratificante ver tanto empenho e ter o sentimento de dever cumprido”, disse.

“Guardo um sentimento de gratidão por poder ajudar a população brasileira, principalmente neste momento de pandemia, e, especialmente, a cidade de Manaus, para onde estamos levando este apoio e conforto aos cidadãos manauaras”, afirmou.

Uma aeronave KC-390 Millennium, operada pelo Esquadrão Zeus (1° GTT), decolou de Recife (PE), às 08h35 desse sábado (16), e pousou em Manaus (AM), às 12h50, transportando 4,3 toneladas de materiais hospitalares, camas, tendas e geradores, que serão destinados para o Hospital de Campanha (HCAMP).

Outra aeronave KC-390 Millennium decolou de Guarulhos (SP), às 17h10, deste sábado (16) transportando mais cinco tanques de oxigênio líquido para o Amazonas. A carga pesa cerca de cinco toneladas e o pouso, em Manaus, aconteceu às 20h40.

Transporte de Pacientes

Ainda neste sábado (16), mais uma aeronave C-99, operada pelo Esquadrão Condor (1º/2º GT), decolou de Manaus para São Luís (MA) com 11 pacientes, acompanhados de seis profissionais de saúde.

Também neste dia, outros 15 pacientes foram transferidos do Amazonas para Brasília (DF). Ainda estão programados voos de Manaus para Natal (RN), João Pessoa (PB) e Goiânia (GO).

A FAB iniciou o transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do País, no dia 15 de janeiro. Desde então, aeronaves C-99 do Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (1º/2º GT) – Esquadrão Condor, foram acionadas pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e cumprem as missões que têm como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense.

Até o momento foram transferidos nove para Teresina (PI), 23 para São Luís (MA) e 15 para Brasília (DF), totalizando 47 pacientes.

Operação COVID-19

Proteger os cidadãos é uma das funções precípuas das Forças Armadas. Nesse intuito, o Ministério da Defesa, a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira enfrentam, juntos, a pandemia de COVID-19 no País.

A Operação ocorre em um espaço territorial de grandes proporções, nas 27 unidades federativas, com características e necessidades diferentes e com uma população de cerca de 210 milhões de pessoas.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, higienização de lugares públicos, dentre outras. 

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em dez Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças, que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Fotos: Tenente Dantoniele, Soldado Ezequiel / Ala 8, Soldado Siqueira e Soldado Theodoro/BASP, Tenente Padoan / ETA7, Soldado Marley/Ala 1

Texto: FAB

Brasília (DF) torna-se HUB para fornecimento de oxigênio para Manaus


Publicada em 18/01/2021 03:00

A partir deste domingo (17), a Força Aérea Brasileira (FAB) realizará o transporte dos tanques de oxigênio líquido a partir da Ala 1, em Brasília (DF), promovendo, desta forma, maior agilidade no cumprimento das missões, com menor tempo de resposta e aumento da capacidade de transporte dos tanques nas aeronaves.

Para tanto, a White Martins, empresa que abastece de oxigênio a cidade de Manaus (AM) neste momento de pandemia, transferiu o seu HUB, ou seja, o centro de distribuição dos tanques de oxigênio líquido de Guarulhos (SP) para a capital federal.

Com a mudança, a FAB poderá otimizar o transporte, aumentando também a carga.

O primeiro voo de Brasília decolou neste domingo (17), às 18h55, com dez tanques de oxigênio líquido, totalizando 13,5 toneladas. O pouso em Manaus está previsto para 23h30, de acordo com o horário de Brasília.

O novo HUB será um centro de distribuição em Brasília (DF) ou ponto de referência, para que as aeronaves façam o carregamento e descarregamento dos tanques de oxigênio líquido, a fim de abastecer os hospitais da capital amazonense, que sofrem com a falta do insumo para tratar pacientes com o novo Coronavírus.

Por conta da crescente demanda, e da localização geográfica da capital do Brasil com todos os Estados, a Força Aérea passa a atender com maior rapidez aos deslocamentos. O reabastecimento dos tanques de oxigênio, feito pela empresa White Martins, passará também a ser feito no Terminal de Carga de Brasília, na Ala 1, onde uma estrutura foi adaptada para as novas demandas, bem como a atuação do efetivo da unidade militar.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19.

Desde que foram intensificadas as missões de Transporte Aéreo Logístico para Manaus, há dez dias, a FAB atingiu a marca de mais de 200 horas voadas e mais de 180 toneladas transportadas. 

Estão em constate operação as aeronaves KC-390 Millennium, C-130 Hércules, e C-105 Amazonas, que fazem o transporte de insumos, tanques de oxigênio líquido e de cilindros de oxigênio, além do C-99, responsável pelo transporte de pacientes, acompanhados de equipes de saúde, de Manaus (AM) para outros estados do País. 

Operação COVID-19

Proteger os cidadãos é uma das funções precípuas das Forças Armadas. Nesse intuito, o Ministério da Defesa, a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira enfrentam, juntos, a pandemia de COVID-19 no País.

A Operação ocorre em um espaço territorial de grandes proporções, nas 27 unidades federativas, com características e necessidades diferentes e com uma população de cerca de 210 milhões de pessoas.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, higienização de lugares públicos, dentre outras. 

Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em dez Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças, que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Acompanhe a página especial sobre a atuação da FAB na Operação COVID-19.

Via: FAB

PORTAL AEROIN


Força Aérea voa 114 horas em 9 dias levando 110 toneladas de insumos a Manaus


Carlos Ferreira | Publicada em 17/01/2021 10:00

Em continuidade ao emprego de aeronaves da Força Aérea Brasileira no combate à pandemia, a FAB atinge a marca de 114 horas voadas e cerca de 110 toneladas transportadas em nove dias de intensa atividade no Amazonas.

O Sargento Ricardo Duarte da Cunha, Loadmaster do KC-390, profissional responsável pela carga da aeronave, explica que o material transportado dará apoio a população amazonense. “É muito gratificante ver a nossa aeronave ser empregada em uma missão que busca levar alento à sociedade, que neste momento passa por uma situação crítica”, disse.  

Piloto de uma das aeronaves C-130 Hércules que realizaram o transporte, o Capitão Aviador Cayo Cesar Magalhães destaca o orgulho em participar das missões. “É muito gratificante participar de uma ação como esta, tanto como militar como cidadão brasileiro. Eu sei que, de alguma forma, estou sendo útil para a nação brasileira e ajudando a salvar vidas”, disse. 

O Comando da Aeronáutica está dedicando o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e 7 dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19. Desta forma, as aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

110 toneladas

Nos dias 8 e 10 de janeiro, a FAB transportou mais de 24 toneladas de tanques de oxigênio para Manaus (AM), por meio do C-130 Hércules. No dia 13, a aeronave KC-390 Millennium transportou mais de oito toneladas de equipamentos para Manaus; e no dia 14, duas aeronaves C-130 Hércules transportaram mais de 18 toneladas de tanques de oxigênio líquido, sendo que cada aeronave  transportou seis. Nesta sexta-feira (15), também ocorreu transporte de insumo e de oxigênio, realizado pelos aviões KC-390 Millennium e C-130 Hércules, para Manaus (AM), com mais 19,5 toneladas de carga.

Até o momento, a FAB já transportou aproximadamente 110 toneladas, entre insumos hospitalares, materiais para instalação de Hospital de Campanha e tanques de oxigênio líquido. Já foram levados 36 tanques de oxigênio líquido, o que significa cerca de 3.700 cilindros de oxigênio de 7m3. Todos os equipamentos, insumos e materiais se destinam a hospitais para o combate ao novo Coronavírus em Manaus. 

Informações da FAB – Por Tenente Cristiane, Fotos: Tenente Dantoniele, Soldado Ezequiel / Ala 8, Soldado Siqueira/BASP

FAB responde à revista sobre o cancelamento da compra do Boeing 767


Carlos Ferreira | Publicada em 17/01/2021 09:00

A Força Aérea Brasileira (FAB) emitiu uma nota nesse sábado (6), em que responde às informações divulgadas por veículos de imprensa, como a Revista Istoé, sobre um possível prejuízo nas ações da FAB durante a pandemia motivadas pelo cancelamento da compra da aeronave Boeing 767-300ER em 2020.

Segundo a imprensa, o governo haveria cancelado a compra da aeronave, que teria importância vital na ajuda a Manaus e ao restante do país durante a pandemia. A FAB respondeu, veja na íntegra.

Leia na íntegra a nota da FAB

O Comando da Aeronáutica esclarece que:

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19.

As informações relacionadas ao cancelamento da licitação relativa ao Boeing 767-300ER foram publicadas no Termo de Revogação, disponível para acesso aqui. Na ocasião, o Comando da Aeronáutica relatou uma série de motivações para a revogação e ressaltou que o processo seria  uma solução temporária para uma demanda operacional, não sendo a decisão final para o Projeto CX-2, que trata da aquisição de um cargueiro de grande porte para complementar a frota de aeronaves de transporte já em operação pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Considerada uma questão estratégica, as necessidades para a aquisição de uma grande aeronave de carga ainda persistem, com o objetivo de ampliar a capacidade e a autonomia de transporte intercontinental de pessoal e material, de acordo com os interesses da nação brasileira.

A suspensão da licitação, portanto, não significou o cancelamento do projeto e se deu, como explicado na época da revogação, pela impossibilidade da aquisição da aeronave a curto prazo e pelo impacto da pandemia da COVID-19 no mercado aeronáutico, que teve uma mudança considerável em relação ao cenário encontrado quando da publicação do convite para participação no processo licitatório. Nesta perspectiva, vislumbrou-se a oportunidade de aquisição de outras aeronaves mais adequadas às necessidades do que o 767 que era objeto do certame.

Além disso, as projeções econômicas para o ano de 2021 em consequência da pandemia e a necessidade de serem adotadas medidas para reduzir os impactos nos projetos estratégicos em andamento, dada à importância para aumentar as capacidades da Força, também contribuíram para a decisão.

Diante deste novo cenário, e de acordo com a legislação vigente, o Comando da Aeronáutica decidiu por cancelar o certame licitatório, sempre observando os princípios da legalidade, conveniência e oportunidade. Deve ser ressaltado, ainda, que este cancelamento foi resultado de uma análise técnica do Comando da Aeronáutica, não envolvendo outras esferas do governo federal.

Outrossim, ressalta-se que a FAB está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves, 24 horas por dia e 7 dias por semana, em atendimento às necessidades de enfrentamento à pandemia da COVID-19.

CNN BRASIL


Brasília recebe 15 pacientes com Covid-19 transportados de Manaus


Juliana Elias | Publicada em 17/01/2021 09:28

Brasília recebeu na madrugada deste domingo (17) 15 pacientes transferidos de Manaus para o Hospital Universitário de Brasília (HUB). 

Com estes, já são 47 pessoas transferidas da capital amazonense para leitos de outros estados desde sexta-feira (15).

As transferências, feitas em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), estão sendo coordenadas pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Defesa, com o objetivo de desafogar os hospitais de Manaus, que entraram em colapso com o aumento de casos de coronavírus no estado.

Os pacientes levados ao Distrito Federal pousaram na Base Aérea de Brasília às 3h e foram encaminhados ao HUB pelo Corpo de Bombeiros Militar do DF, com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Foram usadas quatro ambulâncias tipo USB (Unidade de Suporte Básico) e uma USA (Unidade de Suporte Avançado) com médico. 

De acordo com os Bombeiros, todos os pacientes estavam estáveis, conscientes e orientados. de acordo com boletim do governo do Amazonas, todos os 47 pacientes removidos de Manaus até agora estão estáveis e seguem em acompanhamento pelo estado.

Além do HUB, vinculado à Universidade de Brasília (UnB), o Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI) e o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA) também já receberam pacientes. 

A rede de hospitais universitários federais, administrada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, já disponibilizou no total 205 leitos em diversos estados para receber os pacientes vindos do Amazonas. As transferências continuam sendo feitas ao longo dos próximos dias.

OUTRAS MÍDIAS


AMAZONAS ATUAL - Brasília entra em rede de acolhimento e recebe 15 pacientes de Manaus


Da Redação | Publicada em 17/01/2021 11:30

MANAUS – Mais 15 pacientes com Covid-19 foram transferidos de Manaus na madrugada deste domingo, 17. Eles foram levados para Brasília em avião da FAB (Força Aérea Brasileira).

Os pacientes farão o tratamento no Hospital Universitário de Brasília (HUB-UNB), da rede Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), estatal federal.

A transferência foi elaborada com base na escassez de oxigênio no Estado para suprir a demanda gerada com o aumento de hospitalizações na rede pública de Saúde. Já receberam pacientes de Manaus os hospitais da Ebserh em Teresina (PI) e São Luís (MA).

O empresário Yuri Farias Mendonça, 31, teve o pai, Firmino Moraes de Mendonça, transferido para Brasília. “Nós fomos muito bem orientados, explicaram para gente o translado, o hospital que a gente vai ficar, farão videochamadas no decorrer do dia para nós conseguirmos ter ciência do estado do nosso familiar. Então, tenho certeza que ele terá todo o apoio”, disse.

PODER NAVAL - Quando o P-3AM Orion da FAB enfrentou um submarino nuclear


Publicada em 17/01/2021 09:00

Imagine buscar um inimigo invisível em uma área de 2 mil quilômetros quadrados, equivalente a mais de 242 mil gramados do Maracanã, no meio do Oceano Atlântico. Foi esse o desafio encarado pelas tripulações do Esquadrão Orungan em um treinamento a bordo dos seus aviões P-3AM realizado em julho de 2014.

E não era um alvo qualquer: com pouco mais de um ano de uso, o HMS Ambush era o submarino nuclear mais moderno do Reino Unido. Movida por um reator nuclear fabricado pela Rolls Royce, a embarcação é capaz de dar uma volta ao mundo debaixo d’água, e esteve na costa da Bahia para treinar com as tripulações da FAB.

O combate entre um avião e um submarino começa como um jogo de “gato e rato”. Sem poder ver abaixo da linha da água, a tripulação da aeronave usa a tecnologia.

De pequenas aberturas na parte de baixo do P-3AM, sonoboias caem diretamente na água. Ali, elas começam a emitir ondas sonoras e receber de volta todos os ecos do mar. Podem encontrar o leito marinho, baleias… e alvos.

Também há as sonoboias passivas, que buscam ruídos como os motores dos submarinos.

Os dados de até dezenas de sonobóias são enviados em tempo real para computadores e tripulantes responsáveis por tentar identificar um submarino em meio a tantos ruídos no mar. Enquanto isso, o submarino se mantêm em máximo silêncio e tenta seguir para uma área longe da aeronave.

Nesse treinamento, a tática não deu certo para o HMS Ambush. Com os dados das sonoboias indicando onde estava o alvo, o P-3AM foi para a segunda parte da missão: localizar, exatamente, onde estava o submarino.

Foi a hora de usar o enorme “ferrão” na parte traseira da aeronave. É um Detector de Anomalias Magnéticas,conhecido pela sigla inglesa MAD, de Magnetic Anomaly Detector. Com esse sensor, o avião voando baixo consegue detectar a presença de uma grande massa metálica na água.

No combate entre o P-3AM da FAB e o HMS Ambush, todas essas fases foram cumpridas. Foram cinco horas de busca até confirmar a localização do submarino. Só não houve o passo seguinte: lançar o armamento. Mas o treinamento já é motivo de comemoração no Esquadrão Orungan. “Hoje em dia podemos afirmar que temos plena capacidade de localizar submarinos”, afirma o Tenente-Coronel Aviador Antônio Lima Júnior, comandante do Esquadrão.

De acordo com ele, conseguir achar o submarino pode alterar todo o cenário estratégico. “Revelar a posição já é uma vitória. O que eles iriam fazer já não fariam mais”, conta. No caso do HMS Ambush, a tripulação do P-3AM conseguiu até perceber a embarcação britânica desistir de sua rota. “Nós o cercamos com as nossas sonoboias e ele precisou curvar 180 graus e voltar”, relata.

O embate contra o HMS Ambush não foi o único treinamento do Orungan. Nos dias seguintes, exercícios semelhantes tiveram como protagonistas o submarino peruano Pisagua,de propulsão diesel-elétrica, e mais dois nucleares: o Amethyste, da França, e o USS Dallas, da Marinha dos Estados Unidos. Este último é uma das “estrelas” do filme “A Caçada do Outubro Vermelho”. Todos foram localizados pelos P-3AM da FAB.

Os submarinos vieram para o Brasil para participarem das comemorações dos 100 anos da Força de Submarinos da Marinha do Brasil, celebrada em 17 de julho de 2014. No caminho, aproveitaram para treinar com a Força Aérea Brasileira.

Um mês depois, foi a vez de um P-3AM viajar: entre 18 e 24 de agosto, uma aeronave brasileira operou a partir da Base Aérea Naval de Bahía Blanca, da Armada Argentina. Era a Operação Fraterno, realizada pelos argentinos em parceria com a Marinha do Brasil.

A aeronave atuou na busca das fragatas Greenhalgh, brasileira, e La Argentina, da Armada Argentina, que também participou com um avião P-3B e as corvetas Espora e Robinson. “O cenário era diferente do que operamos. O movimento de embarcações era muito grande e por isso era mais difícil confirmar a localização dos nossos alvos”, explica o Tenente-Coronel Lima Júnior.

Durante a Operação Fraterno, o P-3AM brasileiro compartilhou dados de sonoboias com o P-3B argentino. A bordo das duas aeronaves as tripulações puderam participar juntas na busca dos alvos.

Assista no vídeo abaixo o lançamento de sonoboia por P-3 Orion

FONTE: Revista AEROVISÃO Nº 242 Out/Nov/Dez – 2014

DEFESA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS - KC-390 Millennium realiza primeiro transporte de tanques de oxigênio para Manaus


Agência Força Aérea | Publicada em 17/01/2021 16:05

O FAB 2853, operado pelo Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) - Esquadrão Zeus decolou às 17h05 (horário de Brasília) deste sábado (16), da Base Aérea de São Paulo (BASP), em Guarulhos (SP), com cinco tanques de oxigênio líquido, o que corresponde a 5.550 quilos de carga. O pouso, na Ala 8 – Manaus (AM), ocorreu às 20h40. A missão ocorre em apoio à Operação COVID-19.

O Comando da Aeronáutica está dedicando permanentemente o esforço do seu efetivo e de suas aeronaves 24 horas por dia e sete dias por semana em atendimento às necessidades da sociedade brasileira no enfrentamento à pandemia da COVID-19. Para esta missão, o KC-390 Millennium conta com uma válvula de segurança equipada, a qual permite o transporte dos tanques de oxigênio. O material será utilizado para abastecer os hospitais de Manaus (AM), que sofrem com a falta do insumo para tratar pacientes com COVID-19

Por questões de segurança, um técnico da empresa que disponibilizou os tanques de oxigênio líquido foi a bordo da aeronave, para conferência da carga durante todo o trajeto, que teve duração de pouco mais de três horas de voo. O Comandante do KC-390 Millennium, Tenente-Coronel Aviador Luiz Fernando Rezende Ferraz, explicou a capacidade do vetor, para o transporte da carga. "A aeronave já vem com uma válvula de alívio para fazer o transporte desse oxigênio durante o voo. O que foi necessário ser feito, é que cada tanque tem um tipo de conexão, então a empresa fez uma conexão e adaptação desse tanque para nossa aeronave", salienta.

O Loadmaster (mestre de carga) da aeronave, Sargento Ian Mayer, comentou sobre a missão. "O sentimento como militar e brasileiro é o melhor possível. Sabemos que, quando somos acionados para esse tipo de operação, vidas estão em perigo e os militares não vão medir esforços para cumprir", destaca. 

As aeronaves da FAB estão em contínuo apoio à sociedade brasileira com transporte aéreo logístico, estando à disposição do Ministério da Defesa, e intensificaram as missões relacionadas à crise de saúde encontrada na capital amazonense em função da pandemia de COVID-19. O transporte aéreo exige uma logística complexa e que, durante o período de pandemia, envolve o trabalho coordenado de diversos órgãos.

Operação COVID-19

Proteger os cidadãos é uma das funções precípuas das Forças Armadas. Nesse intuito, o Ministério da Defesa, a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira enfrentam, juntos, a pandemia de COVID-19 no País. A Operação ocorre em um espaço territorial de grandes proporções, nas 27 unidades federativas, com características e necessidades diferentes e com uma população de cerca de 210 milhões de pessoas.

As ações envolvem descontaminação de espaços públicos, doações de sangue, transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, higienização de lugares públicos, dentre outras. Na execução dessas atividades, os militares atuam organizados em dez Comandos Conjuntos que cobrem todo o território nacional, bem como no Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE). Esses Comandos reúnem militares das três Forças, que desenvolvem esforços no cumprimento das missões.

Confira aqui o vídeo da missão.
Acompanhe a página especial sobre a atuação da FAB na Operação COVID-19.

Confira mais fotos da Operação COVID-19 no Flickr oficial da FAB.

Fotos: Soldado Wilhan Campos/CECOMSAER

Vídeo: Soldado A. Soares/CECOMSAER

Fonte: Força Aérea Brasileira

CM7 - FAB faz quatro voos diários com carregamentos de oxigênio para Manaus


Elton Charles | Publicada em 17/01/2021 16:00

A Força Aérea Brasileira (FAB), faz quatro voos diários  com oxigênio líquido para abastecer as unidades de saúde do Estado. Cada aeronave tem capacidade para transportar até cinco mil metros cúbicos do insumo, e o envio do material faz parte da ação integrada entre Governo do Estado, FAB e Ministério da Saúde, para reforçar o abastecimento da rede de hospitais.

Os insumos estão sendo transportados pelas aeronaves KC 390 e C 130, com grande capacidade para transportar cargas e pessoal. O secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo, ressalta que, desde que foi identificada a dificuldade logística para trazer oxigênio para Manaus, o Governo do Amazonas solicitou apoio do Governo Federal que disponibilizou aviões das Forças Armadas.

“Vale ressaltar que o oxigênio líquido só pode ser transportado em aviões não pressurizados pelo risco da explosão, então, somente aviões militares conseguem esse transporte. Nós temos alguns transportes com aviões de linhas comerciais, mas só de oxigênio na forma gasosa em cilindros e é um transporte limitado”, disse o secretário.

O transporte por linhas comerciais é limitado devido à peculiaridade do oxigênio gasoso, que é altamente inflamável. Por isso, são transportadas até 200 balas de oxigênio, o equivalente a dois mil metros cúbicos, por viagem.

 

PELO MUNDO - DF recebe e encaminha primeiros pacientes de Manaus


A Redação | Publicada em 17/01/2021 14:50

O Distrito Federal recebeu, na madrugada deste domingo (17), os primeiros 15 pacientes com Covid-19 provenientes de Manaus (Amazonas). Uma operação conjunta entre o Serviço de Atendimento Médico Urbano (Samu) e o Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF) recepcionou os enfermos no hangar da Força Aérea Brasileira (FAB), no Aeroporto Internacional de Brasília, e transportou-os para o Hospital Universitário de Brasília (HUB), onde eles já se encontram internados.

O voo da FAB pousou em Brasília às 3h10. Servidores do Samu e do Corpo de Bombeiros já estavam a postos para recebê-los. Neste primeiro momento, todos os pacientes serão direcionados aos hospitais da rede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), tanto do DF quanto de Goiás, Piauí, Maranhão, Paraíba e Rio Grande do Norte. A ação também envolve os ministérios da Saúde e da Defesa.

Toda a operação de transporte durou cerca de seis horas e meia, desde o embarque dos pacientes em Manaus (às 23h30 de sábado, 16) até a chegada ao HUB (5h30 deste domingo, 17). "É um grande trabalho da equipe de Brasília, do Samu e do Corpo de Bombeiros do DF", destacou o diretor do Departamento de Gestão Interfederativa do Ministério da Saúde, Reginaldo Ramos, um dos comandantes da missão.

Oxigênio hospitalar

Após a crise de oxigênio hospitalar em Manaus, que motivou a ação de transferência de pacientes para o DF e demais estados, o subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Alexandre Garcia, tranquilizou a população com relação a um possível desabastecimento no DF.

"O nosso contrato é por metro cúbico consumido, então não haverá falta de oxigênio no Distrito Federal", lembrou. "No ano passado, quando sofremos com o pico da incidência da pandemia, que foi em meados de julho até agosto, não houve falta de oxigênio. Portanto, não há com o que se preocupar. Nós não teremos falta de oxigênio no Distrito Federal."

* Com informações da SES

SC HOJE - Brasília recebe 15 pacientes com covid-19 procedentes de Manaus


Agência Brasil | Publicada em 17/01/2021 14:00

O Hospital Universitário de Brasília (HUB) recebeu hoje (17) de madrugada 15 pacientes com covid-19 transferidos de Manaus. Eles chegaram em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) por volta das 3h e foram transportados da Base Aérea da capital federal para o HUB, com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Segundo o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, foram usadas cinco ambulâncias, quatro com suporte básico e uma com suporte avançado. A corporação informou que todos os pacientes estão conscientes e têm o quadro estável.

Ao chegarem ao HUB, os pacientes foram transferidos para a Unidade de Pronto-Socorro, que tem leitos exclusivos para pacientes com covid-19, com suporte de oxigênio. Caso algum paciente tenha de ir para Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), poderá ser transferido para a rede pública do Distrito Federal.

Esse foi o segundo grupo de pacientes enviados de Manaus para a capital federal. Na quinta-feira (14), seis foram transferidos para Brasília. Cinco estão no hospital particular Santa Lúcia, com o tratamento custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e um militar da Força Aérea que estava no Hospital da Aeronáutica de Manaus está internado no Hospital das Forças Armadas (HFA).

Por causa do colapso do sistema de saúde na capital amazonense, pacientes com covid-19 estão sendo transferidos para outros estados. Além do Distrito Federal, os hospitais universitários da Universidade Federal do Piauí e da Universidade Federal do Maranhão (HU-UFMA) receberam pacientes do Amazonas.

Administrada pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, a rede de hospitais universitários federais ofereceu 205 leitos, em diversos estados, para receber os pacientes do Amazonas. As transferências continuarão a ser feitas nos próximos dias.

PARAIBA.COM - Avião da FAB chega a João Pessoa com 15 pacientes de Manaus neste domingo


Yves Feitosa | Publicada em 17/01/2021 17:27

O governo do Estado da Paraíba confirmou que quinze pacientes vindos de Manaus devem chegar a João Pessoa na noite deste domingo (17).

Inicialmente, cogitava-se que apenas dez seriam transferidos, mas esse número aumentou tendo em vista as vagas oferecidas pelo estado.

De acordo com comunicado oficial, o voo da FAB deve chegar na capital paraibana por volta das 21 horas.

O secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros vai acompanhar a chegada e estará disponível para atender os veículos que conseguirem enviar equipe ao fim da operação.

Atualmente Manaus enfrenta o segundo colapso do sistema de saúde e funerário por conta da pandemia.

Em apenas 11 dias, o mês de janeiro de 2021 já é o segundo com maior número de internações.

Com a alta na demanda, a prefeitura da cidade amazonense prepara câmaras frigoríficas para armazenar corpos sem local adequado para enterro.

PORTAL CORREIO - Pacientes de Manaus são transferidos para João Pessoa

Os 15 pacientes ficarão em leitos de enfermaria do Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba

Redação | Publicada em 17/01/2021 18:46

O voo da Força Aérea Brasileira (FAB) trazendo 15 pacientes de Covid-19 vindos de Manaus (AM) para João Pessoa deve chegar à capital paraibana por volta das 22h20 deste domingo (17). A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES). O voo estava previsto, a princípio, para chegar na tarde de domingo, mas sofreu alteração no horário.

o colapso na rede de saúde por conta da pandemia do novo coronavírus. Unidades de saúde do estado do Norte do país estão sem cilindros de oxigênio, o que inviabiliza o tratamento de pessoas em quadro grave de Covid-19. Por conta da situação crítica, Estados se organizam em uma ação humanitária nacional.

*Texto atualizado às 18h46 deste domingo (17) após atualização da SES sobre o horário de chegada do voo